PublicidadeNEC

OFEC eleva renda proporcional por torcedor em 40% no início de 2015

Ingressos mais caros e estímulo ao sócio-torcedor justificam receita

Por: ‎Emmanuel Fornazari em 26/02/2015 09:33:41 atualizado em 17/01/2019 02:17:23

OFEC eleva renda proporcional por torcedor em 40% no início de 2015

Operário começa série de jogos em casa com maior arrecadação proporcional - Foto: Josué Teixeira

OFEC eleva renda proporcional por torcedor em 40% no início de 2015
PublicidadeNEC

Se for levar em conta os primeiros levantamentos de receita por bilheteria, a diretoria do Operário Ferroviário Esporte Clube (OFEC) não tem do que reclamar do novo projeto financeiro do clube. A arrecadação aumentou na comparação com 2014.


Levantamento realizado pelo Net Esporte Clube aponta evolução de quase 40% na renda por torcedor na comparação com os 11 jogos oficiais do Fantasma em 2015. O crescimento se explica pelos planos de sócio-torcedor e pela majoração do ingresso.


No ano passado, o Fantasma levou ao Estádio Germano Kruger 15.814 pagantes, somando os nove jogos oficiais no Campeonato Paranaense. A renda chegou a R$ 311.225, o que equivale, aproximadamente, a R$ 19,68 por torcedor presente.


Já em 2015, no primeiro jogo realizado no estádio, a receita atingiu R$ 68.110 para 2.471 pagantes. A divisão simples indica uma renda por torcedor de R$ 27,56. Ou seja, o Fantasma arrecadou, de forma proporcional, mais com menos pagantes.


Para solidificar a análise, no maior público do ano passado, diante do Toledo, também na primeira rodada, o alvinegro levou 3.333 pessoas ao estádio para uma renda de R$ 72.660 - o que dá uma arrecadação por torcedor de R$ 21,80.


O ingresso em 2014 foi, em sete dos nove jogos, R$ 30 para arquibancada geral. Já a coberta custava R$ 60 e a cadeira social R$ 80, com todas as entradas tendo direito à meia-entrada. Neste ano, o comércio foi modificado.


Por conta do novo programa de sócio-torcedor, a diretoria liberou venda de ingressos apenas para arquibancada geral ao valor de R$ 80. No entanto, uma ação promocional promovida por patrocinadores baixou a cobrança para R$ 40 em compra antecipada.


Nesta promoção não houve incidência de meia-entrada. Dessa forma, se por si só a entrada já era mais cara que o valor integral deste setor no ano passado, na comparação com o meio-ingresso se tornou quase três vezes maior.


Além disso, a presença de sócio-torcedores também aumentou. Incluindo dependentes legais, o Germano Kruger recebeu 1.108 integrantes contra o Prudentópolis. Em 2014, o jogo com maior número sócios foi diante do Paraná, com 425.


Por caráter formal, neste ano, cada sócio é contabilizado no borderô como se tivesse adquirido uma entrada de R$ 10. No ano passado, de R$ 15. Apesar do valor menor agora, a renda dos sócios foi de R$ 11.080, contra R$ 6.375, no jogo com a maior presença deles em 2014.


Vale destacar que estes valores são apenas simbólicos para efeito de contagem e repasse para Federação Paranaense de Futebol (FPF), visto que os pacotes de sócio-torcedor exigem o pagamento de contribuição mensal com contrato de um ano.


Do total que entrou como sócio diante do Prudentópolis, a diretoria estima que metade seja membro-titular. Como o plano de menor valor custa R$ 40, o Operário já teria assegurado cerca de R$ 22 mil por mês. Porém, ainda há o ingresso dos dependentes.


Leia também:

Alves Jr. apita Jotinha e Operário


Pelas regras do programa, cada adicional de sócio-ouro paga R$ 40 pelo ingresso na cadeira descoberta e de sócio-prata R$ 20 na arquibancada. Levando em conta o menor valor, este grupo rendeu contra o Tigre, no mínimo, R$ 11.080.

https://www.netesporteclube.com.br/artigo/Operario/232/OFEC-eleva-renda-proporcional-por-torcedor-em-40-no-inicio-de-2015" data-text="OFEC eleva renda proporcional por torcedor em 40% no início de 2015">