Voto vencido, Mikulis não aprova redução no preço dos ingressos

Diretor alvinegro reforça que a solução do futebol é o sócio-torcedor

Voto vencido, Mikulis não aprova redução no preço dos ingressos

Mikulis diz que não era a favor da redução do preço dos ingressos - Foto: Josué Teixeira

PublicidadeNEC

A diretoria do Operário Ferroviário Esporte Clube (OFEC) optou por premiar a torcida e cortou pela metade o preço dos ingressos para a partida contra o Rio Branco, no próximo domingo. A atitude gerou questionamentos quanto ao posicionamento do clube em relação ao sócio-torcedor.


O argumento é que a promoção prejudicaria os associados, que ficariam em desvantagem em relação ao ‘torcedor comum’. Principal idealizador do programa ‘Amigos do Operário’, o diretor Antônio Luís Mikulis é contra a redução do preço, mas foi voto vencido na última reunião da diretoria.


“É um contrassenso, mas estamos num grupo democrático e não posso impor nada. A promoção servirá como um teste para o torcedor. Vamos ver se ele realmente quer futebol em Ponta Grossa. Se ele reclama do preço, nós diminuímos. Mas e se ele não aparecer nem assim?”, questiona.


O dirigente reforça que a mentalidade no município precisa mudar em relação ao Operário. “Temos que acabar com essa história de diretor tirar dinheiro do próprio bolso para bancar o time. Quem pode participar da reestruturação do clube é a torcida através do sócio-torcedor”.


Atualmente o Fantasma tem cerca de 700 associados em dia com o clube. O número é considerado positivo pela diretoria alvinegra, mas a intenção é chegar aos dois mil caso a vaga na Série D seja confirmada.


Leia também:

Reunião de três horas 'lava roupa suja' no Operário


“No fim das contas esta promoção de domingo vai provar aquilo que sempre falamos: o Operário não pode sobreviver com o torcedor apenas pagando ingresso. Ele precisa participar mais ativamente do clube”, conclui Mikulis.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
PublicidadeNEC