Colunas

Um pouco mais de ousadia

Por Felipe Gustavo em 23/07/2019 22:57:32

Um pouco mais de ousadia

É inegável que o empate com o São Bento - em termos de resultado - foi bom para o Operário Ferroviário. O Fantasma deixou de ser um time zerado fora de casa na Série B do Campeonato Brasileiro. Mas a atuação alvinegra em Sorocaba poderia ter ido além.

Os donos da casa mostraram no Estádio Walter Ribeiro uma equipe nervosa, sem confiança e muito dependente de ligações diretas nos minutos iniciais. Foi assim que o Operário chegou ao primeiro gol com o centroavante Lucas Gaúcho.

O problema é que o Fantasma abriu o placar e entrou naquele vício do futebol brasileiro: dar a bola ao adversário e se segurar. Os visitantes pararam. Tanto que dos 20 aos 25 minutos, por exemplo, o São Bento teve 71% de posse de bola. Dos 30 aos 35, esse número chegou a 73% e, nos cinco minutos seguintes - quando saiu o gol de empate, a posse dos paulistas foi de 64%.

Além de dar campo ao rival, o time comandado por Gerson Gusmão voltou a abusar dos passes errados. Mesmo com menos posse, errou mais do que o São Bento: 48 a 29 neste quesito. É um fator que dificultou a construção do Alvinegro mesmo com a proposta do contra-ataque.

Diante de uma equipe insegura, o Operário poderia ter se soltado e avançado mais as linhas. Assim, teria maior controle do ritmo da partida e conseguiria propor o jogo.

Obviamente nem tudo foi negativo no empate de 1 a 1. O goleiro Simão mostrou segurança e experiência para administrar o confronto. Apesar de não conseguir fechar o chute de Doriva, o sistema defensivo do Fantasma teve boa postura para impedir invasões na grande área e o trabalho de bola do São Bento na região mais central do campo de ataque.

PARA O PRÓXIMO JOGO...

Contra o São Bento faltou aquela 'dobradinha' entre Cleyton e Mailton pela direita. O meia recebeu a bola mais pelo lado oposto - setor que não teve uma participação aguda. Esse dinamismo nas movimentações é fundamental para o duelo com o Coritiba na sexta-feira.

A volta de Jardel contra o Coxa também será importante para qualificar a saída de jogo. Serginho Paulista sentiu a falta de ritmo e terminou como jogador que mais errou passes na partida ao lado de Maílton. Ambos erraram oito vezes.

https://www.netesporteclube.com.br/coluna/213/um-pouco-mais-de-ousadia" data-text="Um pouco mais de ousadia">
Felipe Gustavo

FELIPE GUSTAVO

Jornalista formado pela UEPG em 2012, foi repórter de Esportes do Jornal da Manhã e setorista do Operário pelas rádios CBN e Difusora. Trabalhou no projeto Futsal Daqui, além de ter sido jornalista na Rádio MZ FM. Trabalha como assistente de produção na Rede Massa. É editor e comentarista no Net Esporte Clube.

PublicidadeNEC