Colunas

Previsibilidade derruba o Operário

Por Felipe Gustavo em 13/09/2019 22:39:05

Previsibilidade derruba o Operário

O Operário é irregular; e a inconsistência é punida na Série B do Campeonato Brasileiro. O placar negativo contra o Oeste - que luta para não cair - é uma amostra. A derrota também é resultado da falta de alternativas do elenco.

Suspenso, Lucas Batatinha fez falta. Durante a semana comentei em nosso Debate NEC que o estilo atual do Fantasma pede um ataque veloz. Com Schumacher, o time alvinegro teve um a menos em campo. E não por culpa só do centroavante, mas é questão de característica. A equipe precisa de um atacante mais ágil e que jogue de frente para o gol.

Se estivesse em campo, Batatinha pelo menos seria uma opção (para vez ou outra) buscar o jogo. Seria necessário, pois em Barueri o Operário não teve aproximação entre as linhas. Com esse cenário, volantes forçavam passes ou arriscavam bolas compridas sem sucesso. Os meias abusavam do erros de passe. Não tinha como o setor ofensivo fluir.

Marcelo foi o jogador mais participativo da equipe, mas também foi o segundo que mais errou passes - atrás apenas de Maílton na estatística. Cleyton nas jogadas agudas também falhava.

Qual a escapatória? Jogar de maneira previsível. O torcedor provavelmente percebeu: com Maílton bem marcado, era bola em Allan Vieira e cruzamento na área. A bola aérea se tornou o vício alvinegro. E o ataque teve esse resumo até o Oeste matar o jogo.

SUBSTITUIÇÃO

Quando a partida estava 1 a 0, Gersinho optou por quebrar a marcação. A saída de Jardel e a permanência de Índio, que é um volante menos veloz e de menos combate que o companheiro, culminou no terceiro gol do Oeste.

Foi nítido que Índio não acompanhou a jogada de ataque no lance anterior, pois estava com receio da cobertura. Resultado? Cleyton tocou errado, Índio ficou no meio do caminho e a equipe de Barueri fechou a partida.

Esforço houve, mas ser irregular não levará o Operário a lugar algum.

* Foto: Jeferson Vieira

https://www.netesporteclube.com.br/coluna/238/previsibilidade-derruba-o-operario" data-text="Previsibilidade derruba o Operário">
Felipe Gustavo

FELIPE GUSTAVO

Jornalista formado pela UEPG em 2012, foi repórter de Esportes do Jornal da Manhã e setorista do Operário pelas rádios CBN e Difusora. Trabalhou no projeto Futsal Daqui, além de ter sido jornalista na Rádio MZ FM. Trabalha como assistente de produção na Rede Massa. É editor e comentarista no Net Esporte Clube.

PublicidadeNEC