Colunas

E se os resultados do primeiro turno se repetissem na reta final da Série B?

Por João Vitor Rezende em 30/10/2019 13:23:04

E se os resultados do primeiro turno se repetissem na reta final da Série B?

Com dois jogos já disputados pela 32ª rodada e a partida atrasada da 24ª rodada disputada entre Cuiabá e Coritiba, pensei em uma projeção possível para a reta final da Série B. Como ficaria a tabela se os resultados do primeiro turno se repetissem nos últimos sete jogos da competição? Vamos aos números.

Dos 21 pontos possíveis, o Operário somou 13 nos últimos sete jogos do primeiro turno. Nas três partidas que agora fará longe de seus domínios, o alvinegro conquistaria as três vitórias, contra Vila Nova, Guarani e Figueirense, todos por 1 a 0. Por outro lado, nos duelos em que será o mandante, teria alguns percalços. No primeiro confronto com o Atlético-GO, o alvinegro foi derrotado por 4 a 2. Contra o Bragantino, adversário na 35ª rodada, o Fantasma sofreu a pior derrota em toda a Série B, pelo placar de 4 a 0. Além disso, venceria o Criciúma e empataria com o Vitória em casa.

Com este rendimento, o Fantasma não conquistaria o acesso, mas subiria da atual 9ª posição para o sexto lugar. O terceiro colocado Atlético-GO somou 10 pontos no período, desempenho que não seria suficiente para terminar a Série B no G4. Coritiba e América-MG somariam mais 17 pontos e ficariam com a segunda e quarta posição, respectivamente. O Coxa ultrapassaria o Sport pelos critérios de desempate, mesmo ficando igualados com 66 pontos. O Bragantino terminaria na liderança com 74 pontos, tendo oito de vantagem para o vice.

Portanto, as chances de acesso do Operário Ferroviário passam por reverter os resultados negativos que obteve nos primeiros confrontos contra as equipes que estão no G4. Ainda assim, precisaria derrotar o Vitória no Germano Krüger e chegaria ao acesso com uma vitória a mais do que o Coelho, considerando o contexto desta projeção.

BRIGA NA PARTE DE BAIXO
O retrospecto na reta final do primeiro turno seria impiedoso com o Londrina. No período, o Tubarão demitiu o técnico Alemão para recontratar Claudio Tencati, que na sequência deixou a equipe com um pouco mais de um mês no cargo. A equipe do norte do estado já teve seu compromisso pela 32ª rodada, sendo derrotado por 1 a 0. Nos outros seis jogos restantes, somou apenas dois pontos e teria o pior retrospecto entre os outros 20 clubes.

Com apenas um ponto a mais no período, o Oeste escaparia da degola, terminando no 15º lugar com 41 pontos, três acima do Z4. O lanterna São Bento somou dez pontos e ainda evitaria o rebaixamento, ficando no 16º posto com 38 pontos. Neste cenário, Criciúma, Londrina, Vila Nova e Figueirense cairiam para a Série C. Sendo assim, a nota de corte seria sete pontos abaixo dos 45 pontos, número determinado nas últimas edições como o mínimo para evitar o descenso.

Porém, os números frios não preveem a recuperação do Figueirense. Na época, a equipe vivia o jejum de vitórias que durou 18 jogos e, nas últimas sete partidas do primeiro turno, somou apenas três pontos. Entretanto, está há cinco jogos sem perder e já está na 17ª posição.

Veja como ficaria a classificação da Série B:
1º Bragantino - 74 pontos (+12)
2º Coritiba - 66 pontos (+17)
3º Sport - 66 pontos (+10)
4º América-MG - 65 pontos (+17)
5º Atlético-GO - 60 pontos (+10)
6º Operário - 57 pontos (+13)
7º CRB - 54 pontos (+8)
8º Cuiabá - 54 pontos (+13)
9º Brasil de Pelotas - 53 pontos (+11)*
10º Paraná Clube - 53 pontos (+6)*
11º Botafogo-SP - 51 pontos (+7)
12º Ponte Preta - 49 pontos (+8)
13º Vitória - 46 pontos (+10)
14º Guarani - 43 pontos (+7)
15º Oeste - 41 pontos (+3)
16º São Bento - 38 pontos (+10)
17º Criciúma - 38 pontos (+8)
18º Londrina - 37 pontos (+2)*
19º Vila Nova - 37 pontos (+6)*
20º Figueirense - 35 pontos (+3)

*Equipes que já atuaram na 32ª rodada

https://www.netesporteclube.com.br/coluna/261/e-se-os-resultados-do-primeiro-turno-se-repetissem-na-reta-final-da-serie-b?" data-text="E se os resultados do primeiro turno se repetissem na reta final da Série B?">
João Vitor Rezende

JOãO VITOR REZENDE

Jornalista formado pela UEPG em 2017, foi repórter de Cotidiano e Esportes do Jornal da Manhã e acompanha o Operário desde 2016. Trabalhou na assessoria de imprensa do Keima Futsal e do Ponta Grossa Caramuru Vôlei. Trabalha como fotógrafo na AGIF. É repórter e apresentador no Net Esporte Clube.