Com apoio do Operário, NBPG capta R$ 450 mil pela Lei de Incentivo

Com apoio do Operário, NBPG capta R$ 450 mil pela Lei de Incentivo

Reprodução da captação do projeto do NBPG disponível no site da Secretaria Especial do Esporte

PublicidadeNEC

O Novo Basquete Ponta Grossa (NBPG) já conta com a captação de R$ 450 mil, a partir de projeto para obtenção de recursos através da Lei de Incentivo ao Esporte. O recurso provém da Gazin Indústria de Comércio de Móveis e Eletrodomésticos. O depósito na conta primária - uma conta bloqueada para movimentação nesta fase, mas que garante o repasse do recurso - consta no sistema de informações da Secretaria Especial do Esporte, dentro do Ministério da Cidadania.

O valor total disponível para captação para o projeto do NBPG, que tem como proponente a Liga Desportiva de Ponta Grossa, é de R$ 799.963,93. A tendência é que o restante do valor seja complementado pela CCR Rodonorte, concessionária de rodoviais parceira do projeto desde 2013, porém o aporte ainda não foi oficializado pela empresa. Questão de tempo.

O NBPG conseguiu o apoio da Gazin a partir do intermédio do Operário Ferroviário e das Lojas MM. O Fantasma já captou recursos para um projeto pela Lei de Incentivo. Agora, a nova proposta enviada ao Ministério aguarda avaliação para que tenha a captação liberada. Dessa forma, o alvinegro não poderia receber o recurso agora, então, a Gazin foi apresentada ao projeto de basquete e aceitou fazer o repasse.

Dentro do corpo diretivo do Operário está o advogado Rodrigo Sautchuk, reconhecido pelo conhecimento em projetos para Lei de Incentivo ao Esporte. A tendência agora é que quando o projeto do Operário estiver apto para captação o NBPG auxilie no processo e apresente empresas interessadas em deduzir impostos por meio de destinação a iniciativas dentro do esporte.

"É importante destacar o apoio que o Operário e as Lojas MM nos deram nesse projeto, sendo fundamentais para termos o recurso", registrou o coordenadoor do NBPG Paulo Affonso Moreira. Para que o NBPG possa usufruir do dinheiro captado ainda há um processo burocrático a ser cumprido, desde a finalização da captação do restante disponível até a liberação final por parte do Ministério, trämite já de conhecimento prévio por parte dos integrantes do projeto. 

Por que a Gazin não esperou para dar o recurso ao Operário?

Essa pergunta pode ter surgido durante a leitura do texto. Então, explicamos que essa questão passa pelo ano de abatimento do imposto. Para que a empresa pudesse deduzir do imposto de renda de 2020, ano base 2019, seria necessário fazer o repasse até 31 de dezembro do ano passado. Como explicamos, o novo projeto do Operário ainda não foi aprovado para captar recursos. 

Com isso, para que pudesse deduzir o imposto e investir no esporte, a Gazin depositou em 30 de dezembro de 2019 o valor ao NBPG. Isso não impede que em 2020 o Operário possa captar recursos junto a própria Gazin, visto que investimento visaria a dedução do imposto em 2021. O que poderia ter acontecido era a empresa não ter destinado o recurso e pagado o imposto ao governo. Felizmente, para o desenvolvimento do esporte local, isto não aconteceu e o aporte foi feito. Vale lembrar que a Gazin é patrocinadora do Operário e estampa a marca nas camisas da comissão técnica.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
Emmanuel Fornazari

Emmanuel Fornazari

Jornalista formado pela UEPG em 2010, foi repórter de esportes e política do Jornal da Manhã de Ponta Grossa, no Paraná. Foi produtor, âncora e colunista da Rádio Sant''Ana, editor-chefe do programa esportivo Show de Bola do SBT e comentarista esportivo do programa Esporte Emoção, da TV Educativa. Atualmente, além de diretor geral do Net Esporte Clube, é editor de texto na Rede Massa/TV Guará/SBT.