Operário peca na segunda bola e recomposição de jogadas

Operário peca na segunda bola e recomposição de jogadas

Operário teve dificuldades sem a bola na partida contra o Paraná Clube - Foto: João Vitor Rezende

PublicidadeNEC

Contra o Paraná, o Operário apresentou o futebol mais frágil desde o início da temporada 2020. Chama a atenção que esta atuação ocorreu justamente na primeira semana 'cheia' da equipe desde a estreia. Além dos erros de passe, que facilitaram o domínio do adversário, o Fantasma falhou no posicionamento defensivo de diferentes formas. A coluna de hoje se atrela a esse fator (abaixo aqueles prints e artes do Paint... risos).

Foram erros de posicionamento tanto no rebote defensivo - a famosa segunda bola - quanto na recomposição frente ao contra-ataque rival. Situações de muita desatenção.

LANCE DE PERIGO DO PARANÁ NO SEGUNDO TEMPO

1 - Cruzamento pelo lado direito e quatro jogadores do Operário aparecem na imagem contra apenas um do Paraná. Entre os alvinegros estão o lateral esquerdo Danilo, o atacante Douglas Coutinho, o volante Régis e - mais afastado - o zagueiro Sosa.

2 - O jogador do Paraná ganha por cima e manda para o meio da área. Sosa encosta no centroavante e Jardel opta por acompanhar Raphael Alemão (camisa 11 do Paraná). Repare no posicionamento do meia Michel (camisa 8 da equipe tricolor).

3 - É justamente o camisa 8 quem pega o rebote. Totalmente sozinho, ele teve tempo de dominar, ajeitar o corpo e finalizar. André Luiz fez excelente defesa. Régis Potiguar chega atrasado. Rafael Bonfim e Danilo tentam travar o chute, mas também não conseguem.

LANCE DO GOL DO PARANÁ

1 - O contra-ataque começa no campo de defesa do Paraná. O jogador paranista não recebe o bote da marcação e Sávio fica no meio do caminho. A seta em vermelho indica o posicionamento de Renan Bressan, que foi o autor do gol.

2 - A bola passa por Sávio e um corredor fica aberto para o contra-ataque. Na parte inferior, Danilo corre para a área e Jardel acelera para recompor.

3 - Com a bola, o atacante paranista tem espaço para puxar a jogada para o meio. Rafael Bonfim é o que mais se aproxima para impedir o passe, mas não consegue por conta da velocidade que a jogada atingiu. No canto inferior direita da imagem está o camisa 8, Michel. Jardel corre na direção dele. À esquerda da imagem repare que Renan Bressan aparece e que nenhum jogador do Operário parece perceber essa chegada.

4 - Michel vai receber a bola perto da linha de fundo. O lateral esquerdo Danilo recompõe no meio da área, enquanto o volante Jardel vai para o combate.

5 - A bola é rolada para trás. Renan Bressan - sem qualquer acompanhamento - finaliza para abrir o placar. Ou seja, todos os jogadores que estavam atuando na recomposição 'afundaram' para dentro da área e ninguém fez o acompanhamento de Bressan. Podemos dizer que a defesa 'se desesperou' com o contra-ataque do adversário e perdeu o foco de todo o 'leque' de opções que a jogada trazia. Também não houve uma peça que matasse o contra-ataque antes que ele engrenasse.

GOL DO FC CASCAVEL CONTRA O OPERÁRIO

Apesar da construção da jogada ser diferente, o gol sofrido pelo Operário na derrota para o FC Cascavel na segunda rodada foi muito parecido. O autor do gol vem de trás, não recebe acompanhamento e finaliza. Serve de alerta. Confira abaixo!

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
Felipe Gustavo

Felipe Gustavo

Jornalista formado pela UEPG em 2012, foi repórter de Esportes do Jornal da Manhã e setorista do Operário pelas rádios CBN e Difusora. Trabalhou no projeto Futsal Daqui, além de ter sido jornalista na Rádio MZ FM. Trabalha na produção de conteúdo da Rede Massa. É editor e comentarista no Net Esporte Clube.