Com obstáculos na pandemia, Amador convoca reunião com clubes

Com obstáculos na pandemia, Amador convoca reunião com clubes

Amador foi paralisado ainda na quinta rodada da primeira fase - Foto: Michel José Rosa

A Liga de Futebol de Ponta Grossa (LFPG) - responsável pela organização do Campeonato Amador - chamou representantes dos clubes para uma reunião na próxima quarta-feira (10 de junho), às 19h, na sede da Liga. A intenção é discutir soluções para a sequência da temporada - interrompida pela pandemia do novo coronavírus.

Na pauta da Liga estão questões como: há possibilidade para a volta do Amador 2020? Quais medidas preventivas podem ser adotadas numa possível volta? O que poderá ser fornecido pela LFPG para conter o risco de contaminação?

O encontro presencial entre os dirigentes pretende seguir normas de distanciamento e preventivas, seguindo os decretos estabelecidos pela Prefeitura do município.

Outra questão que pode ser abordada é o lado financeiro das equipes e da Liga. De acordo com César Roberto Pitela, presidente da entidade, há clubes com pendências de três meses - período que coincide com a interrupção do Amador. Os participantes da competição pretendem negociar para que esses valores sejam quitados no futuro de alguma maneira alternativa. Cabe à LFPG aceitar essa possibilidade.

Em relação à paralisação pela pandemia, há um grupo grande de dirigentes que apoiam a paralisação e que preferem não colocar atletas em campo com o risco de contágio. Em contrapartida há aqueles que encontram nas constantes flexibilizações das medidas de isolamento um motivo para a volta em breve.

Em Ponta Grossa, o Operário Ferroviário, por exemplo, voltou no futebol profissional. Mas é preciso lembrar que o retorno foi apenas de treinamentos e com grupos reduzidos. Não há atividades coletivas neste momento na modalidade.

Ainda assim, o clube precisou fazer a testagem de jogadores, comissão técnica e funcionários. Numa pesquisa rápida na internet é possível ver que os testes da Covid-19 variam de preço de acordo com o tipo (entre R$ 100 e R$ 400).

Ou seja, caso uma equipe do Amador tivesse que testar um grupo de 20 a 30 pessoas de maneira particular, teria que desembolsar valores entre R$ 2.000 e R$ 12.000, o que certamente foge do orçamento desses clubes, principalmente daqueles que representam bairros e pequenas localidades da cidade.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
Felipe Gustavo

Felipe Gustavo

Jornalista formado pela UEPG em 2012, foi repórter de Esportes do Jornal da Manhã e setorista do Operário pelas rádios CBN e Difusora. Trabalhou no projeto Futsal Daqui, além de ter sido jornalista na Rádio MZ FM. Trabalha na produção de conteúdo da Rede Massa. É editor e comentarista no Net Esporte Clube.