Vitória convincente

Vitória convincente

Jogadores do Operário reunidos no gramado de São Januário - Foto: André Moreira

Não foi apenas a vitória que surpreendeu. A postura tática adotada pelo Operário ficou acima das expectativas. O Vasco, com certeza, esperava enfrentar um time fechado, carregado de volantes, para arrumar pelo menos um empate. ":Levamos um nó". O comentário do jogador cruzmaltino na saída de campo diz tudo. O Fantasma  entrou em campo para ganhar os três pontos e abrindo mão dos brucutus, partiu pra cima do adversário construindo um placar que ficou barato para o time carioca. As duas chances perdidas pelo Jeam Carlo e as bolas na trave evitaram um vexame histórico em São Januário. 

A postura destemida desde o inicio deram ao Operário a possibilidade de pular a frente do marcador. Atordoado, o Vasco passou a oferecer campo para os alvinegros trabalharem a bola em todos os espaços ofensivos, superando uma marcação frágil do adversário. Quando imaginaram que o Operário iria se contentar com a vantagem, a surpresa ficou ainda maior com o golaço de Ricardo Bueno. Com a temperatura alta, o time passou a administrar o marcador, mas sem nunca deixar de oferecer perigo para o experiente goleiro Wanderlei.

Desorganizado taticamente, mas com muita vergonha do resultado, o Vasco até que tentou melhorar a sua situação no segundo tempo, mas encontrou uma defesa bem postada e um  goleiro de alto nível. Estava mais fácil prever o terceiro gol do Operário do que o primeiro do seu combalido adversário.

A estreia não poderia ser melhor naquele que era o primeiro duelo na história centenária dos dois clubes. Aliás, é a terceira vez na série B que o Operário inicia com vitória. Foi assim contra o América e diante do Figueirense. 

Será preciso, entretanto, ter muita cautela na disputa deste ano, onde estão consagradas forças do nosso futebol. Foi apenas o primeiro jogo de uma série de 38 e o caminho a ser percorrido requer  muito pé no chão. A torcida, entretanto, tem todo o direito de festejar, pois foi transposto um obstáculo antes assustador. Se é um campeonato para matar um leão a cada rodada, o primeiro está morto.

Méritos incontestáveis para o técnico Matheus Costa, que, ao contrario do comandante anterior, colocou a sua tropa na linha de frente, somando três pontos que podem fazer uma grande diferença no frigir dos ovos. E que venha o Bugre, adversário bem, mais conhecido e que já foi vítima deste Fantasma em temporadas anteriores.           

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
Altayr Bail

Altayr Bail

Altayr Bail é jornalista profissional, com registro número 507 na Delegacia Regional do Trabalho no Paraná, desde 27/03/1973, com atuação nos jornais Diário dos Campos, onde foi redator e editor responsável por 17 anos, Diário da Manhã e Jornal da Manhã. Foi criador e redator do Jornal do Empresário, da ACIPG, editor dos boletins do Guarani e América Pontagrossense. Também foi o editor de programas esportivos nas rádios Clube, Difusora, Central do Paraná, CBN e Lagoa Dourada. Como apresentador de programas esportivos atuou na TV Esplanada (hoje RPC) e  TV Educativa. Trabalhou na Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal e na Liga Desportiva de Ponta Grossa. Escreve às segundas-feiras no portal Net Esporte Clube. 

Assine o Clube NEC!

Colabore para manter a nossa cobertura de jornalismo independente sobre o esporte de Ponta Grossa (PR). Você tem opção de ajudar com uma pequena quantia todo mês no crédido recorrente ou, então, um valor para o plano semestral com desconto e opção de parcelamento ou boleto bancário em cota única!