Propaganda enganosa

Propaganda enganosa

O Operário perdeu para o Goiás nesta sexta-feira (30) - Foto: Gabriel Thá/OFEC

Cantado em prosa e verso como o mais promissor de todos os campeonatos da série B, pela presença de cinco clubes que já foram campeões nacionais, a disputa deste ano vai se transformando numa autêntica propaganda enganosa.

Com raras exceções, não estamos vendo nada de extraordinário. Nem mesmo Náutico e Coritiba que brigam na parte alta da tabela, conseguem empolgar as suas torcidas. A desculpa fica sempre por conta da Pandemia, como se ela afetasse todos os jogadores que estão ou estiveram em campo nas primeiras quatorze rodadas. 

O Operário é outro triste exemplo. Vem alternando bons e maus resultados, com poucas atuações convincentes. Não levou outra goleada em Goiânia graças ao experiente e competente goleiro Simão, jogador que a torcida chegou a pedir a sua saída do time. Imaginem.

 Levamos em conta, claro, os desfalques que não são poucos e importantes, mas algumas contratações, que eram para dar certo, se transformam em pesadelo para a torcida. A derrota diante do Goiás veio em consequência do pênalti perdido pelo melhor atacante. Depois do chute na arquibancada, Ricardo Bueno sumiu em campo, pois cansou de lutar sozinho na linha de frente. Leandrinho até melhorou nesta partida, mas o aproveitamento foi nulo. Aliás, o time não tem aproveitado nem mesmo as bolas paradas. Até parece que ninguém treina e o comando técnico não sabe a quem escalar para as situações de maior risco para o adversário 

O momento de instabilidade do Goiás no campeonato sugeria uma disputa muito igual na Serrinha e se tivesse tomado o gol por certo iria se descontrolar, permitindo melhor resultado para o visitante. As peças que não vem funcionando a contento no Operário voltaram a falhar especialmente do meio de campo para frente. O time corre sem rumo e tem uma sequência incrível de passes errados. Será que nem esse fundamento está sendo treinado?

A situação exigiria o aproveitamento de jogadores formados na base, mas este é outro problema que não se resolve em Vila Oficinas. Será que Tibagi e Zemarcio são piores do que Chorão e Filemon?

Escapou a chance do Operário somar pelo menos um ponto para ir buscar três em Belém. Além de não estar com boa sequência na disputa, o Fantasma se mostra abatido em determinados momentos, dando a impressão de que o resultado fora de casa pode ser descartado. Para quem sonha em chegar à série A, esta não é a melhor situação. A série B exige muito mais do que está acontecendo com o time de Ponta Grossa nesta temporada. Será que a intenção não é ficar, de novo, no meio da tabela para se garantir na mesma divisão em 2022? Com a resposta, jogadores, Comissão Técnica e Grupo Gestor. A torcida, por sua vez, já está mais do que desconfiada. 

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
Altayr Bail

Altayr Bail

Altayr Bail é jornalista profissional, com registro número 507 na Delegacia Regional do Trabalho no Paraná, desde 27/03/1973, com atuação nos jornais Diário dos Campos, onde foi redator e editor responsável por 17 anos, Diário da Manhã e Jornal da Manhã. Foi criador e redator do Jornal do Empresário, da ACIPG, editor dos boletins do Guarani e América Pontagrossense. Também foi o editor de programas esportivos nas rádios Clube, Difusora, Central do Paraná, CBN e Lagoa Dourada. Como apresentador de programas esportivos atuou na TV Esplanada (hoje RPC) e  TV Educativa. Trabalhou na Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal e na Liga Desportiva de Ponta Grossa. Escreve às segundas-feiras no portal Net Esporte Clube.