Chega de migalhas e falta de prestígio

Chega de migalhas e falta de prestígio

Léo Rigo com o uniforme do Operário na estreia do Paranaense contra o Azuriz - Foto: João Vitor Rezende

PublicidadeNEC

Há muito tempo que o Operário não apresenta uma camisa bonita, que faça o torcedor querer despender vários reais para comprar. Muito porque a qualidade do material do OFEC é bem ruim, melhorou, mas ainda é muito abaixo comparado às outras empresas de material esportivo.

Além da qualidade do material, temos em nosso manto uma grande quantidade de patrocinadores e eu só tenho a agradecer a todos, porém, ano passado eu tive uma conversa e até uma exposição com imagens e tudo mais explicando que é possível não só “diagramar” melhor os patrocinadores na camisa, como manter todos em preto e branco, que é nosso pedido desde sempre.

Mas é aquela né, o Operario virou meio que exemplo de que camisa cheia de patrocínio resulta em um time bem administrado e que está crescendo. E de certa maneira eu concordo, uma camisa cheia de patrocínios resulta em dinheiro em caixa, o que me incomoda é a falta de transparência de valores e a teimosia em não aceitar que às vezes dava pra ser melhor.

Nossa camisa é alvinegra e sinceramente é difícil demais alguém conseguir deixar feia uma combinação tão clássica. Mas a Karilu meio que consegue, até por querer colocar outras cores em nossa camisa. Um exemplo é camisa de 2019 que tinha um cinza meio azulado no uniforme branco. Além do fato de que o preto da Karilu não ser um preto bem forte e que desbota facilmente nas lavagens.

Mas mesmo que essas questões técnicas me irritem bastante, o que mais me incomoda é a diferença com que a Karilu trata o Operário e o Londrina, nosso principal rival e adversário direto nas principais competições. É só seguir a empresa em suas redes sociais e vemos que as principais propagandas ou promoções envolvem o time de Londrina, pode até ser óbvio já que a empresa tem como sede a cidade do norte do estado, mas incomoda demais.

Pelo status nacional que o Operario alcançou, eu acho que já está na hora de procurar outra empresa para fornecimento do material esportivo e parar de aceitar migalhas de uma empresa que não dá o mesmo prestígio para todos os seus clientes.

As camisas dessa temporada ainda não foram oficialmente lançadas, mas já sabemos que não terá nada de especial ou bonito o suficiente. Ficamos mais um ano comprando as camisas de treino que são mais acessíveis e sem patrocínios! E esse ano estão bem bonitas!

Lateral Silva com a nova camisa de treino do Operário Ferroviário - Foto: André Jonsson/OFEC

    Lateral Silva com a nova camisa de treino do Operário - Foto: André Jonsson/OFEC

Mas eu sonho um dia que o Operário aceite seu lugar e feche com uma grande empresa de material esportivo, que faça camisas preocupados com o design ou com a história do clube.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
Kamila Padilha

Kamila Padilha

Graduada em Direito pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, advogada, ponta-grossense sócia de um escritório de advocacia na cidade de Curitiba, apaixonada por esportes e torcedora operariana. No Net Esporte Clube traz uma visão de torcedora, relembrando histórias e causos da arquibancada. Escreve sempre às quartas-feiras.

Assine o Clube NEC!

Colabore para manter a nossa cobertura de jornalismo independente sobre o esporte de Ponta Grossa (PR). Você tem opção de ajudar com uma pequena quantia todo mês no crédido recorrente ou, então, um valor para o plano semestral com desconto e opção de parcelamento ou boleto bancário em cota única!