Quadras de society seguem fechadas e proprietários criam alternativas

Proibição do uso dos espaços para jogos de futebol traz impactos ao setor

Quadras de society seguem fechadas e proprietários criam alternativas

Sem jogos, quadras de society estão funcionando como 'academias de futebol' - Foto: João Guilherme Castro

O uso de quadras de society em Ponta Grossa segue probido para a prática do futebol como esporte coletivo. Desde março deste ano, os aluguéis de quadra estão parados e trazem impactos ao setor, que precisa se reinventar diante da pandemia de coronavírus.

Marcelo Brustolin, diretor do society Gol de Placa, conta que colaboradores diretos e indiretos acabaram afetados. "Temos o bar, por exemplo, você acaba não comprando mais os insumos do bar e é uma cadeia que acaba quebrando. Escolas de Futebol também pararam. Está sendo um período bem complicado em que estamos tentando segurar a onda, mas não está fácil", afirma.

Para tentar reverter o cenário, algumas quadras de futebol society estão atendendo com hora marcada para prática de exercício funcional com técnicas do futebol, tendo no máximo oito pessoas no espaço. A ideia foi aplicada no Gol de Placa, no Society Água Verde e no Mineiro Society, por exemplo.  

O projeto 'CT Água Verde' foi criado com este objetivo. "Ficamos 42 dias parados até que fossemos autorizados a trabalhar como academia de futebol. Nos cadastramos e agora eu e meu sócio, formados em Educação Física, estamos trabalhando com fundamentação de futebol e treinamento funcional para mulheres. Obedecendo normas da prefeitura e da secretaria de saúde, estamos nos virando dessa forma, mas perdemos um faturamento mensal de cerca de 70% mensal, nossos funcionários estão parados", explica André  proprietário do Society Água Verde.

No Gol de Placa, a iniciativa recebeu o nome de 'pré-temporada': "No nosso caso é um treinamento funcional voltado para o futebol, bem recreativo, para quem quer voltar aos poucos, bater na bola, fazer um exercício físico orientado. Chamamos de pré-temporada e começamos a movimentar. Claro, representa 30% do faturamento da nossa quadra, mas é uma maneira de não ficar parado e movimentar um pouco o cliente. Vamos atender até quatro alunos na metragem da quadra. Mas torcemos que tudo isso passe e possamos a voltar ao normal", diz Marcelo Brustolin.

No última dia 30 de abril, proprietários de quadras de society estiveram reunidos com representantes da prefeitura e o vereador Rudolf Polaco, para tentar reabrir os campos seguindo recomendações de prevenção à COVID-19. Neste momento, porém, não há nenhuma previsão de retorno às práticas coletivas por conta da COVID-19.

 

Compartilhe essa notícia com seus amigos!