CBF e Ministério da Saúde avançam para definição da volta do futebol

Órgão do Governo Federal pediu alterações em protocolo para os jogos

CBF e Ministério da Saúde avançam para definição da volta do futebol

Secretário-geral da entidade fala em possibilidade de volta ao fim de junho - Foto: João Vitor Rezende

PublicidadeNEC

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) se aproxima da definição de um protocolo médico para a retomada do futebol no país. O secretário-geral da entidade, Walter Feldman, contou à Agência Reuters que as medidas implantadas pela Alemanha, que retomou as competições no último sábado (16), são um “grande aprendizado” e podem servir de exemplo para a volta dos campeonatos entre o fim de junho e início de julho.

“Maio abre portas, junho abre outras adicionais e não duvido que, em junho, com a volta dos treinos, protocolo sustentado e possibilidade de flexibilização das autoridades de saúde, o futebol possa voltar com restrições”, analisou o dirigente. Porém, Feldman descartou possibilidades de jogos com torcida, relatando que isso só deve acontecer com “vacina e controle absoluto”.

Segundo reportagem do Jornal O Globo, o Ministério solicitou mudanças no caderno de encargos proposto pela CBF, visando a volta das atividades no próximo mês. Posteriormente, junto a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o órgão federal de saúde deve publicar portaria para autorizar jogos de futebol sem públicos nos municípios.

LEIA MAIS
FPF demonstra otimismo para retomada do Campeonato Paranaense em junho

Em entrevista ao NEC, o presidente da FPF, Helio Cury, expressou otimismo para o retorno dos clubes aos gramados já no próximo mês. “Dentro do necessário, encaminhamos tudo o que foi necessário e entendemos que o quadro no Paraná tem um diferencial em relação a maioria dos estados, com um controle muito bom até agora. Primeiro precisamos abrir a possibilidade de treinamento e depois de uns 20 dias vamos avaliando. Se houver um problema maior, suspendemos o campeonato. Temos que preservar a vida, não um jogo de futebol”, comenta o dirigente.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!