CBF divulga sugestões protetivas para o retorno do futebol no país

Segundo o planejamento, será necessária a aplicação de medidas preventivas

CBF divulga sugestões protetivas para o retorno do futebol no país

O documento foi elaborado pela Comissão Médica Especial da CBF e segue as normas da OMS-Foto: Arquivo NEC

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou no sábado (6) um guia médico com sugestões protetivas para o retorno das atividades do futebol em meio a pandemia do coronavírus.

O documento foi elaborado pela Comissão Médica Especial da CBF e seguiu as normas da Organização Mundial da Saúde (OMS), do Ministério da Saúde, do Conselho Federal de Medicina e da Associação Médica Brasileira. 

O objetivo principal do documento  é sugerir a implementação de medidas protetivas para o retorno das atividades dos clubes de futebol brasileiros, seguindo as normas de segurança e de assistência para os atletas, membros das comissões técnicas, funcionários e colaboradores. 

De acordo com o guia, o planejamento para o retorno prevê que as atividades sejam precedidas de medidas internas de segurança e higiene. O clube deve planejar as ações que deverão ser executadas em todos os setores administrativos e nas estruturas internas onde ocorrerão as atividades de treinamento.

A CBF propõe que a retomada seja feita em cinco fases: a preliminar, de treinamentos individuais ou em pequenos grupos, de treinamentos coletivos, de competições e de acompanhamento. 

Na fase preliminar, os clubes são responsáveis por coordenar as ações de medidas protetivas antes do retorno efetivo em seus locais de trabalho, seguindo as normas estabelecidas pelas autoridades de saúde. Os departamentos médicos dos clubes devem solicitar a aquisição de testes, moleculares ou sorológicos, para serem aplicados nos atletas, membros das comissões técnicas e funcionários, além de monitorar familiares e contatos próximos. 

Na fase de treinamentos individuais ou em grupos pequenos, os atletas e membros da comissão técnica devem chegar ao local de trabalho por meio de condução própria e não estarão liberados para usar o vestiário e devem retornar a sua casa imediatamente após as atividades. Assim que chegarem aos centros de treinamento, a temperatura deve ser aferida, de preferência, ainda dentro do veículo. Se a temperatura medida for superior a 37,5° não poderá adentrar ao local. 

Para a fase de treinamentos coletivos, o guia diz que a retomada as competições sejam Campeonatos Estaduais ou Campeonatos Brasileiros das 4 séries na modalidade masculina, 2 séries na categoria feminina e Copa do Brasil, devem ocorrer em concordância com as normas estabelecidas pelas autoridades de saúde. Como não há previsão de retorno das competições, os treinos técnico-táticos com toda a equipe devem ser precedidos de um período de treinamento físico. Nos treinamentos coletivos, o período de aquecimento deve respeitar a distância mínima de um metro entre os atletas e membros da comissão. 

O documento não prevê datas sobre o período de competições, a dinâmica da epidemia deve influenciar no período de treinamento necessário para um retorno seguro às competições. Além disso, todas as partidas agendadas serão realizadas sem a presença de público. Os estádios também devem estar equipados para seguir as recomendações das autoridades sanitárias. 

A quinta fase, de acompanhamento, prevê que seja necessário orientar o Departamento de Competições das entidades organizadoras dos campeonatos sobre a possibilidade de remarcação e alteração na tabela de jogos. Os clubes deverão avisar, semanalmente, caso haja, novos casos positivos para o banco de dados da Comissão Médica e de Combate a Dopagem da CBF. Os dados serão sigilosos e serão utilizados em uma futura publicação científica.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!