Natação de PG deve retornar aos poucos, mas cenário não é 'otimista'

Tendência é que alguns atletas usem espaço particular temporariamente

Natação de PG deve retornar aos poucos, mas cenário não é 'otimista'

Decreto da prefeitura que libera academias flexibiliza realização de treinos da natação - Foto: SMESP

O decreto da Prefeitura de Ponta Grossa que autorizou o funcionamento de academias que tiverem planos de funcionamento aprovados pelo Comitê de Gerenciamento das Ações em decorrência da pandemia de COVID-19 permitirá que, aos poucos, a natação da cidade retome suas atividades. A piscina municipal, por enquanto, segue fechada, mas o coordenador da equipe de natação ponta-grossense, Roberto Mryczka, pretende acolher os atletas na academia de natação particular que comanda. 

Roberto, além de ser responsável pela seleção de Ponta Grossa e vinculado à Associação de Pais e Amigos da Natação (APANPG), é proprietário da Academia Esporte Total. Após o decreto municipal sobre as academias, apresentou às autoridades uma proposta com 17 normas a serem aplicadas no seu espaço particular, onde pretende receber também os atletas da equipe ponta-grossense. Uma das ideias, por exemplo, é que apenas quatro alunos por hora frequentem as aulas de natação e, em outro horário, apenas cinco alunos por hora participem da hidroginástica, com higienização sendo feita de hora em hora.

"Os nossos técnicos da equipe ponta-grossense, Alexandre, Valquíria e Magnos têm passado para os atletas, por whats app, facebook, email, exercícios para fazer em casa, com equipamentos de uso pessoal, principalmente elástico. Alguns tem piscina em casa e conseguem fazer mais alguma coisa. Pede-se também que não discuidem da parte física enquanto estamos esperando", explica Roberto. 

O coordenador destaca a importância da modalidade para quem nada por indicação médica, para melhorar, por exemplo, a respiração. Competições de natação, no primeiro semestre, estão suspensas, e o cenário não se mostra favorável a um retorno próximo mesmo que os atletas voltem a treinar em breve. "Todos estão sem nadar há quase 40 dias, vai acabar ficando tudo para o segundo semestre. Tomara que tudo volte", torce o coordenador. 

"Como empresário, vejo com muito pessimismo. Acho que esse segmento está praticamente entrando em colapso. As perspectivas são desanimadoras, porque a pandemia não é uma coisa que vai se resolver agora nem nos próximos meses. Deve perdurar. Nós trabalhamos com uma perspectiva de perda de 70% dos nossos alunos [na academia particular]. Logo vem o inverno, e o nosso segmento também sofre no inverno", explica Roberto.   

Compartilhe essa notícia com seus amigos!