'Vinha sendo a temporada mais bem estruturada do projeto', crava Milos

Em entrevista à CBB, treinador do NBPG comenta frustração pela paralisação

'Vinha sendo a temporada mais bem estruturada do projeto', crava Milos

Milos está completando dez anos na cidade de Ponta Grossa - Foto: Rodrigo Czekalski/CCR RodoNorte

Atual campeão nacional, o Novo Basquete Ponta Grossa/CCR RodoNorte (NBPG) aguarda uma definição da Confederação Brasileira de Basquete (CBB) para que possa lutar pelo bicampeonato ainda em 2020. O Campeonato Brasileiro foi postergado em março devido à pademia do coronavírus, justamente na semana de estreia do torneio. Em entrevista à Rádio CBB, o técnico ponta-grossense, Milos Alexander, comentou a frustração do cenário de incertezas.

Segundo o comandante do NBPG, o projeto vinha num ritmo forte de trabalho após a conquista de 2019, o que trazia boas perspectivas para a atual temporada.

"O Brasileiro alavancou muito o nosso projeto e ajudou a resgatar a paixão da cidade pelo basquetebol. O título nos ajudou a ter um início de temporada mais planejado, começando a pré-temporada em 14 de janeiro. Vinha sendo a temporada mais bem estruturada do projeto e foi um baque muito grande [a paralisação]", afirmou Milos.

Para 2020, o elenco foi rejuvenescido, apostando mais forte na formação de atletas para a vitrine nacional. "Pra gente foi uma frustração enorme. Nós havíamos trabalhado para a equipe entrar voando logo no início. A gente nunca havia começado a pré-temporada em janeiro dessa maneira. Era uma linha de trabalho diferente", comentou o técnico.

Neste momento, sete atletas estão em Ponta Grossa e conseguem realizar atividades físicas de forma separada, respeitando as regras de higienização e isolamento. Um deles é o lituano Kristupas Totoris - primeiro estrangeiro do projeto - que não voltou ao país de origem durante a pandemia. Outros seis jogadores estão fora do município ao lado de familiares - caso de Arthur Santana, que jogava nos Estados Unidos antes de acertar com o NBPG.

O receio do projeto ponta-grossense é perder jogadores sem que eles vistam a camisa da equipe de forma oficial. "Torcemos para que o Brasileiro exista e consiga agregar o maior número de participantes. Alguns dos nossos jogadores tinham acordo somente para o Campeonato Brasileiro e, se não houver competição, teremos que rever a condição deles", explica Milos.

Uma reunião na noite desta quinta-feira (4) pode dar novos rumos à competição diante da pandemia. A CBB organiza um fórum para discutir a possibilidade de retomada das atividades. O encontro online terá a participação de representantes dos clubes.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!