Gusmão diz que o 'verdadeiro torcedor do Operário tá feliz' com o time

Treinador acredita que o Fantasma merecia a vitória sobre o Cuiabá

Gusmão diz que o 'verdadeiro torcedor do Operário tá feliz' com o time

Gerson Gusmão lamentou empate com o Cuiabá, mas elogiou atuação do time - Foto: José Tramontin/Operário

PublicidadeNEC

O técnico do Operário, Gerson Gusmão, lamentou em coletiva de imprensa o empate com o Cuiabá por 1 a 1 no Estádio Germano Krüger pela 11ª rodada da Série B. Segundo o treinador, a equipe merecia a vitória porque conseguiu dominar um adversário forte defensivamente.

“A equipe evoluiu muito em organização ofensiva, envolvemos eles completamente e tivemos chance de fazer no mínimo três gols, que poderiam ter determinado o jogo, mas o futebol é assim mesmo, como aconteceu lá em Belo Horizonte. O América-MG teve uma superioridade enorme e depois nós acabamos empatando”, argumentou.

Naquela ocasião, o Fantasma levou um gol no primeiro tempo e empatou nos acréscimos da segunda etapa. Diante do Cuiabá, o alvinegro abriu o placar aos dois minutos da etapa inicial, sem que o adversário tivesse chance alguma de empatar até o fim do primeiro tempo. 

Logo aos cinco minutos do segundo tempo, o Cuiabá igualou o placar - e teve chances de virar -, sendo que o Operário chutou apenas uma vez ao gol de João Carlos, em arremate de Tomás Bastos por cima.Nos 45 minutos iniciais foram 10 finalizações sendo quatro no gol.

Apesar da igualdade no placar, o treinador disse estar “muito feliz com o jogo da equipe, muito triste com o resultado” e acredita que o torcedor também tenha a mesma sensação.

“O verdadeiro torcedor do Operário tá feliz com a sua equipe. Não pode ser ser diferente, porque vem jogando bem contra grandes equipes, e não tá deixando nada a desejar a ninguém.” Gerson Gusmão

O treinador também apontou que vai trabalhar para que haja atuação similar nos dois tempos de jogo. No entanto, na coletiva de imprensa, refutou a ideia de que o Operário tenha oscilado drasticamente numa mesma partida.

"Não é que a gente vem fazendo um tempo bom e um ruim. A gente fez um tempo muito bom hoje, perto da excelência, no primeiro tempo. Uma diferença grande em fazer um primeiro tempo bom e um tempo muito bom", analisa ao ponderar ser "humanamente impossível" ter mantido o ritmo do primeiro tempo. Gusmão também descartou a hipósete de mau condicionamento físico ao lembrar que contra a Ponte Preta o Fantasma foi superior ao adversário em rendimento justamente no segundo tempo.

O Operário volta a campo na próxima terça-feira (29) diante do Juventude fora de casa. Na sequência retorna ao Germano Krüger para enfrentar o Vitória. Ambas as equipes estão na parte de cima da tabela e são adversários diretos, nesse momento, pelo acesso à Série A.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!