Gersinho discorda de pressão da torcida: 'não é para isso tudo, não'

Treinador diz que o Operário 'está fazendo uma campanha digna' na Série B

Gersinho discorda de pressão da torcida: 'não é para isso tudo, não'

Gerson Gusmão orienta atletas à beira do gramado em jogo contra o Vitória - Foto: José Tramontin/Operário

PublicidadeNEC

O técnico do Operário Ferroviário, Gerson Gusmão, afirmou em coletiva de imprensa que a pressão de parte da torcida, que cobra melhor rendimento da equipe na Série B do Campeonato Brasileiro em protestou em frente ao Estádio Germano Krüger, "não pode ser exagerada".

A declaração veio após o empate em 1 a 1 com o Vitória no Estádio Germano Krüger pela 13ª rodada da competição. Segundo o treinador, a rotina de quem trabalha com futebol é marcada por cobranças diárias. Porém, para ele, é necessário saber a medida certa de se exigir mudanças e evoluções.

"E eu acho que o torcedor, é lógico que tem o direito de estar triste, estar chateado, mas não é para isso tudo, não". Gerson Gusmão

O comandante que afirma que a equipe está bem posicionada na competição, a poucos pontos do G4 - grupo de equipes que sobem para a Série A - e que irá lutar até o fim da competição para subir para a elite do futebol nacional. 

Confira a classificação atualizada da Série B

Por outro lado, ao reconhecer que a equipe precisa evoluir nas próximas partidas, Gusmão relembra o histórico e avalia o estágio do clube. "O Operário não é um super time. Não é um time que jogou muitos anos campeonatos da Série A. É uma equipe que está se estruturando nos últimos anos, que vai chegar à Série A", declarou o treinador ao completar:

"A gente entende que é preciso melhorar, mas o Operário hoje está fazendo uma campanha digna. Tá enfrentando grandes equipes do futebol brasileiro com experiência recente em Série A, como Ponte Preta e Vitória, e a gente não tá devendo nada para ninguém".

Para Gersinho, o nível de pressão pela a melhora do rendimento dos atletas pode estar influenciando na busca por vitórias. "Eu acho que essa pressão que a gente tá colocando em cima dos jogadores, talvez em algum momento dentro do jogo, ela possa estar atrapalhando", aponta.

O treinador também lamentou a falta de eficiência no ataque. "Não foi o primeiro jogo que nós criamos e não conseguimos transformar as nossas situações em gol e futebol o que vale é isso". Gerson Gusmão afirmou ainda que vai trabalhar o posicionamento da zaga para evitar que a equipe tome gols em cruzamentos na área, como aconteceu no empate com o Vitória.

O Operário volta a campo na próxima segunda-feira (05), às 20h, fora de casa, contra o lanterna da competição, o Oeste, em Barueri. O elenco treina neste sábado e domingo, quando viaja de avião, a partir de Curitiba, para o estado de São Paulo.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!