OFEC repete erros e desperdiça vantagem numérica em derrota para o CSA

Com a segunda derrota consecutiva o Fantasma cai duas posições na tabela

OFEC repete erros e desperdiça vantagem numérica em derrota para o CSA

Fantasma foi derrotado com gol de pênalti na segunda etapa - Augusto Oliveira/ASCOM CSA

PublicidadeNEC

Na noite de ontem (24), o Operário perdeu para a equipe do CSA em Alagoas e repetiu erros da partida contra o América-MG, do último sábado. Falhas individuais, passes errados na entrada da área, além da segunda expulsão seguida, marcaram mais uma derrota alvinegra. 

Logo aos os três minutos do 1º tempo, o goleiro Thiago Braga deixou escapar a bola na área, que sobrou nos pés do adversário. O CSA passou perto de abrir o placar logo no início, mas o goleiro se redimiu defendendo o chute do atacante Andrigo. Na sequência, aos 11, o lateral esquerdo Fabiano errou passe e recuou a bola para o adversário Paulo Sérgio, que dominou sozinho na entrada da área, mas mandou por cima do gol. O lance foi semelhante ao erro cometido por Pedro Ken na partida contra o América, que resultou no gol relâmpago do Coelho.

Pouco antes do intervalo, a equipe de Ponta Grossa chegou a ficar com um homem a mais. Nos minutos finais do primeiro tempo, Rodrigo Pimpão cometeu falta em Ricardo Silva e levou o vermelho imediato. Na segunda etapa, o Fantasma não soube aproveitar a vantagem numérica e, ao contrário disso, aos 23 minutos, viu Leandro Vilela ser expulso. O meia Thomaz foi desarmado no ataque, enquanto os adversários aproveitaram para sair em velocidade. O volante Leandro Vilela parou a jogada cometendo um pênalti no atacante Paulo Sergio e foi expulso, voltando a igualar o número de jogadores. Na derrota para o América, o Fantasma enfrentou a expulsão direta de Pedro Ken e jogou com um a menos durante todo o segundo tempo.  O pênalti cometido por Vilela resultou no gol que deu a vitória a equipe alagoana. 

“Foi muita afobação nossa. A gente não teve paciência para rodar com velocidade a bola para criar realmente a superioridade numérica em campo e misturamos velocidade com afobação, Acabamos errando muito e o CSA soube se fechar muito bem e trabalhar nos contra-ataques. Faltou reagir no momento que perdesse a bola, e acabamos sofrendo o gol”, declara Matheus Costa. 

No primeiro tempo o Fantasma chegou a criar boas oportunidades e exigiu defesas do goleiro adversário. Quando tinha um jogador a mais, a melhor chance veio com Tomas Bastos que acertou o travessão em chute de fora da área. Em números, o Operário teve mais posse de bola, 61%; mais finalizações, 14 contra 12 e mais cruzamentos realizados, 29 contra 18. No entanto, cerca de 15% dos passes trocados foram errados e apenas 6 dos 29 cruzamentos foram corretos. 

“No futebol, além de ter o rendimento, você depende de um pouco de sorte ou azar. Hoje foi um dia que tivemos muito azar. Algumas oportunidades, como a finalização do Bastos que bate na trave, atravessa o gol inteiro e não entra, no momento que estávamos com um a mais. Buscamos alternativas, criamos situações de gol.Futebol é isso, temos que seguir trabalhando”, disse o treinador.

Com a segunda derrota consecutiva, o Operário perdeu duas posições na tabela de classificação.  Atualmente é o 12º colocado, com 29 pontos. Na sexta-feira (27) o Alvinegro volta a jogar em casa, em clássico contra o Paraná Clube. A partida acontece às 19h15 e é válida pela 24ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. 
 

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
PublicidadeNEC