Costa opina sobre paralisação do Paranaense: 'prezo pela segurança'

Treinador destacou que autoridades devem decidir garantindo a segurança

Costa opina sobre paralisação do Paranaense: 'prezo pela segurança'

Treinador falou sobre a possível paralisação da disputa estadual - Foto: André Jonsson/OFEC

PublicidadeNEC

A cidade de Ponta Grossa foi uma das únicas a permitir a realização da partida referente à primeira rodada do Campeonato Paranaense de Futebol, dispensando a recomendação de adiamento proposta pelo Ministério Público Estadual, por conta do agravamento da pandemia da Covid-19 no estado. A Federação ainda não definiu a continuidade da competição, que teve início no sábado (27).

O jogo entre Operário e Azuriz aconteceu na tarde de ontem (28), no Estádio Germano Kruger. Além desta partida, apenas a disputa entre Cianorte e Athletico foi mantida na cidade de Cianorte. Outros quatro jogos previstos nesta primeira rodada foram adiados em Londrina, Curitiba, Toledo e Cascavel. 

Questionado sobre uma possível paralisação do Campeonato Estadual, o técnico Matheus Costa, do Operário, enfatizou que preza pela segurança de todos os envolvidos, mas que respeitará a decisão das autoridades sobre a continuidade, já que não cabe a si decidir sobre isso. 

“Eu prezo pela segurança de todos nós, pela saúde de todos. Nós prezamos por um bom espetáculo sem nenhum tipo de risco de saúde para todos nós que estamos proporcionando esse espetáculo a todos vocês. Se o mais seguro agora for cancelar, temos que cancelar. Se nos derem segurança necessária para que a gente continue realizando nossos jogos, que a gente continue realizando nossos jogos. Eu não posso como treinador, completamente leigo em relação a hospitais, a número de leitos, comentar se é possível a continuidade do Paranaense ou não. Não sou especialista nisso, se derem a condição para a gente continuar eu acredito que nós estamos em segurança e vamos procurar fazer o nosso melhor pelo Operário. Se não derem eu acredito que seja o melhor momento de ficarmos em casa, analisando que até em casa nós estamos em perigo hoje em dia, portanto acredito que aquilo que decidirem vai ser o melhor pra nós. Acima de tudo prezo pela segurança e saúde de todos nós e o que o governo e autoridades decidirem, eu me sinto em segurança com o que eles indicarem para nós”, opina o treinador. 

Ainda sem definição da Federação Paranaense de Futebol em relação à continuidade do Campeonato, os municípios estão adiando as partidas com base na recomendação do MP e por conta do Decreto Estadual que proíbe a realização de atividades não essenciais do dia 27 de fevereiro ao dia 8 de março de 2021, visando conter o avanço da pandemia.  A tendência é que a segunda rodada também tenha partidas adiadas. 

O próximo jogo do Operário – que não deve acontecer – seria contra o Athletico, em Curitiba, na quinta-feira (4), na Arena da Baixada. 
 

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
PublicidadeNEC