Operário amplia receita em 2020 e consegue zerar dívidas externas

Receita Bruta teve aumento de 537 mil reais de um ano para outro

Operário amplia receita em 2020 e consegue zerar dívidas externas

OFEC arrecadou mais que em 2019, também gastou mais, mas zerou dívidas externas - Foto: José Tramontin/OF

PublicidadeNEC

O Balanço Patrimonial do Operário Ferroviário, referente à arrecadação e despesas do clube, demonstrou um aumento na receita bruta de 2020, em relação a 2019, mesmo com a pandemia da covid-19, que interferiu diretamente nas finanças das equipes de futebol. Em contrapartida, o Fantasma aumentou os gastos, mas mesmo assim conseguiu zerar as dívidas externas no último ano. 

Em 2020, a arrecadação do clube - no futebol profissional - foi maior em direitos de transmissão, patrocínio e premiações (especialmente pela Copa do Brasil). Diminuíram apenas as de sócio-torcedor e bilheteria, consequência direta da proibição de público nos estádios, em razão da pandemia. O total da receita em 2019 foi de 14 milhões e 440 mil reais, enquanto em 2020 foi de 15 milhões e 265 mil reais. Ou seja, 825 mil reais a mais entrou no caixa do Fantasma.

Considerando os setores que tiveram queda, em 2019 o clube arrecadou 276 mil reais com a venda de ingressos. Em 2020 foram apenas sete jogos com a presença de público, sendo seis do Campeonato Paranaense e um pela Copa do Brasil. O valor arrecadado com a bilheteria nestas partidas foi de 82 mil reais. Com o programa sócio-torcedor, o clube conseguiu 3 milhões e 861 mil em 2019 e 3 milhões e 141 mil reais em 2020, uma queda de 720 mil reais de um ano para outro. Fora do futebol profissional, o Clube Social também teve queda de arrecadação. O valor de 521 mil reais em 2019 caiu para  288 mil em 2020. Foram 233 mil a menos.

Pensando nos setores que tiveram aumento, os direitos de transmissão subiram de 5 milhões e 897 mil, em 2019 para 6 milhões e 305 mil, em 2020. O patrocínio que era de 4 milhões e 133 mil, em 2019 subiu para 4 milhões e 302 mil reais no ano seguinte. Em 2019, o clube não arrecadou premiações. Por outro lado, em 2020, 1 milhão e 71 mil entraram no caixa do Alvinegro, referente à classificação para a segunda fase da Copa do Brasil.

No entanto, mesmo com uma arrecadação maior, o lucro do time em 2020 foi menor, já que também aumentaram os gastos com atletas e comissão técnica. Em 2019, somando todas as despesas de direito de imagem, premiações, salários e encargos, a despesa foi de 7 milhões e 374 mil reais e em 2020 esse valor cresceu para 10 milhões e 193 mil reais, um aumento significativo de 2 milhões e 819 mil reais com o elenco profissional. 

Em relação a dívidas externas, tudo se encontra zerado. No ano de 2019, o clube possuía uma dívida de 248 mil reais referente a empréstimos com o Banco Sicredi. Em 2020, o valor aparece quitado no documento. 

Com isso, no balanço final, considerando todos os encargos, gastos e arrecadações, o Operário Ferroviário teve uma Receita Bruta que subiu de 14 milhões e 440 mil, em 2019 para 14 milhões e 977 mil, em 2020. O aumento foi de 537 mil reais de um ano para outro. Todos os dados desta reportagem foram retirados do documento oficial referente às demonstrações financeiras do clube. 

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
PublicidadeNEC