Operário fica no empate com o Londrina e acaba eliminado do Paranaense

Fantasma fez jogo apagado e não conseguiu reverter a derrota do jogo de ida

Operário fica no empate com o Londrina e acaba eliminado do Paranaense

Operário e Londrina empataram em 1 a 1 no Estádio Germano Kruger - Foto: André Jonsson/OFEC

PublicidadeNEC

O Operário Ferroviário fez um jogo apagado e acabou eliminado pelo Londrina, na tarde desta terça-feira (06), no Estádio Germano Kruger. O jogo terminou empatado em 1 a 1, mas o Tubarão venceu por 1 a 0 no jogo de ida no Estádio do Café, e conseguiu a classificação. 

Primeiro Tempo

Precisando da vitória, o Operário iniciou tentando controlar as ações e partir em busca do gol. No entanto, até os 20 minutos a equipe só conseguiu duas finalizações. Uma com Silva, sem direção, e outra na bola parada com Tomas Bastos, também muito longe da trave.

O Fantasma tentava construir chances em cruzamentos e conseguia boas chegadas, mas não aproveitava as boas oportunidades de finalizações e acabava mandando para longe, ou deixando a bola viajar. 

Do lado do Londrina, Juan Matos arriscou um chute de longe aos 11, mas Simão defendeu sem dificuldade. A melhor chance do Tubarão foi aos 37 minutos, quando Tiago Orobó chegou e cruzou pela esquerda e cruzou fechado em direção ao gol, assustando o goleiro.

Aos 40, Tomas Bastos cobrou falta e jogou na área. O goleiro Dalton saiu mal e Rodolfo Filemon apareceu para cabecear, mas acabou mandando para fora, por cima do travessão. Nos acréscimos, aos 48, Juan Matos arriscou chute de fora, mas Simão defendeu em dois tempos.

Segundo Tempo

Logo aos 3 minutos da segunda etapa, o Fantasma conseguiu armar contra-ataque com Marcelo. O meia tocou para Thomas Bastos, que finalizou da intermediária, mas a bola passou ao lado da trave. 

Pouco tempo depois, aos 6, Djalma Silva cobrou falta e Dalton defendeu mas soltou a bola. Na sobra, Tomas Bastos e Schumacher apareceram, mas mesmo no chão o goleiro bloqueou e o Fantasma não conseguiu marcar. 

O Operário seguiu no campo de ataque e, aos 12, Felipe Garcia apareceu bem entre os zagueiros, dominou e tentou fintar o goleiro, mas acabou não conseguindo finalizar. Aos 13 Schumacher teve chance de cabeça, mas mandou para fora. 

Mesmo só com Operário no ataque, quem abriu o placar foi o Londrina, aos 17. Danilo cobrou escanteio e Salatiel subiu mais que a zaga para cabecear. Simão não conseguiu fazer a defesa e a bola morreu no fundo do gol.

Com ainda mais dificuldade para reverter, o Fantasma precisou seguiu se lançando ao ataque. A bola foi levantada na área aos 26 e Pedro Ken tentou o cabeceio, mas Dalton defendeu sem dar rebote. 

Aos 36 foi a vez de Rafael Oller arriscar uma bicicleta. Ele recebeu dentro da área e pegou bem, mas acabou mandando no meio e facilitou a defesa do goleiro. Nos minutos finais, aos 41, Rafael Oller fez boa jogada, tirou do goleiro e do zagueiro e deu passe para Felipe Garcia empurrar para o gol e manter o Operário vivo no jogo. 

No primeiro minuto dos acréscimos, Thomaz fez jogada pela direita, deu o passe e Fábio Alemão dominou na área, girou e bateu. A bola foi no canto e carimbou a trave do Tubarão. O Fantasma não conseguiu marcar o segundo e foi eliminado do Campeonato Paranaense com um empate em 1 a 1 em casa.

Escalações

Operário: Simão; Alex Silva, Odivan, Rodolfo Filemon (Marcelo) e Djalma Silva; Fábio Alemão, Leandro Vilela (Rafael Oller) e Tomas Bastos (Leandrinho); Jean Carlo (Thomaz), Felipe Garcia e Schumacher (Pedro Ken)

Londrina: Dalton; Luan (Bídia), Zé Pedro, Lucas Costa e Felipe Vieira; Pedro Cacho, Matheus Bianqui (Willian Correia) e Danilo (Celsinho); Douglas Santos (Salatiel), Tiago Orobó e Juan

Ficha Técnica

Campeonato Paranaense - 2º jogo Semifinal 
Operário x Londrina
Local: Estádio Germano Kruger
Data e horário: 06/07/1998 - 15h20
Árbitro: Rodolpho Toski Marques
Assistentes: Zacarias Chumlhak e Tom Gomes Rocha
Quarto árbitro: André Felipe Olivério
 

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
PublicidadeNEC