Schulle cobra coragem ao Operário

Treinador afirma que faltou espírito vencedor contra o Coritiba

Schulle cobra coragem ao Operário

Schulle quer que jogadores acreditem mais que podem vencer - Foto: Josué Teixeira/Arquivo

A derrota para o Coritiba ainda repercute no Operário Ferroviário Esporte Clube (OFEC). No entanto, o que mais incomodou treinador Itamar Schulle não foi o resultado em si e, sim, a postura da equipe durante a maior parte do jogo.


De acordo com o comandante do Fantasma, faltou aos jogadores acreditar mais que era possível vencer o Coxa. “É preciso jogar com coragem, mas isso é algo que tem que estar no jogador. Faltou um pouco mais de coragem para nós”, enfatiza.


O técnico elogia o poder de reação da equipe, porém sinaliza - mais uma vez - que o time entrou disperso em campo. “No primeiro tempo, nós não acertávamos mais de cinco passes. No segundo tempo, trocávamos 12, 13, rodávamos o jogo”.


Para Itamar Schulle, a mudança de qualidade no fundamento não tem explicação além do foco profissional. “Se o jogador não acertava passe no primeiro e acerta no segundo, era algo que estava errado com ele. Concentração”, aponta.


O chefe da comissão técnica acredita que o Operário foi melhor no jogo “quando quis jogar”. “Quando acertamos a marcação e decidimos atacar, fomos superiores ao Coritiba. A arbitragem também influenciou, pois não deixou o jogo correr”, ameniza.
Compartilhe essa notícia com seus amigos!