Schulle critica mensagens e pouca ação ofensiva diante do Cascavel

Técnico elogia ponto conquistado fora, mas quer manter equipe focada

Schulle critica mensagens e pouca ação ofensiva diante do Cascavel

Treinador Itamar Schulle analisa empate entre Operário e Cascavel - Foto: Josué Teixeira/Arquivo

PublicidadeNEC

O técnico Itamar Schulle não saiu nem feliz nem decepcionado da partida diante do Operário Ferroviário Esporte Clube (OFEC) diante do Cascavel. O treinador afirma que o ponto conquistado fora de casa foi importante, porém, o Fantasma poderia ter feito mais.


De acordo com o treinador, “muitas vezes a equipe se preocupa tanto com a marcação que esquece do potencial ofensivo”. “A marcação é algo que cobro, então, tenho responsabilidade nisso, mas concordo que abdicamos muito de atacar hoje”, completa.


O Fantasma chegou com mais intensidade ao ataque nos minutos finais do segundo tempo, com uma bola na trave, em cobrança de falta de Ruy, e em uma chance clara de gol com o centroavante Douglas.


Durante entrevista coletiva após o jogo, Schulle também citou uma possível acomodação da equipe por conta da classificação garantida à próxima fase. Ele apontou, inclusive, mensagens e ligações aos jogadores por conta do feito.


“Eram elogios, dizendo que no ano passado a situação era muito ruim e que este ano o time está fazendo uma grande campanha. Eu particularmente não gosto disso, por conta do foco, porém, não posso impedir o jogador de atender o celular”, declarou. 


Leia também:

Operário só empate, mas garante classificação para próxima fase

Titulares do Operário ganham dia de folga e trabalho inicia na terça


Questionado se o Operário fez seu pior jogo no campeonato, o técnico nem concordou tampouco discordou. “Se fizemos o nosso pior jogo? Pode até ser, mas conseguimos um empate. Então, quando jogarmos mais ou menos sairemos com a vitória”, despistou.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
PublicidadeNEC