PublicidadeNEC

Gersinho avalia e mantém ataque do Operário Ferroviário como incógnita

Treinador aponta diferença de características entre os candidatos

Por: Redação NEC em 08/02/2017 09:36:11 atualizado em 01/11/2018 12:36:04

Gersinho avalia e mantém ataque do Operário Ferroviário como incógnita
Vandinho sofre intensa marcação no jogo contra o J.Malucelli - Foto: Bianca Machado/OFEC

O técnico do Operário Ferroviário, Gerson Gusmão, vive uma dor de cabeça em relação ao ataque da equipe. Porém, a tal dor de cabeça é daquelas positivas. O comandante alvinegro confirma que o sistema ofensivo é o que traz mais dúvidas por conta do desempenho regular dos atletas.


Questionado sobre quem leva vantagem na briga entre Daisson, Jean Carlo, Lucas Batatinha e Vandinho, Gersinho aponta que somente os próximos 40 dias de trabalho, antes da estreia na Divisão de Acesso do Paranaense, irão responder as dúvidas.


“Eu tenho várias dúvidas. São jogadores que têm potencial para a titularidade. Nós temos bastante tempo para trabalhar bem e para sermos justos com quem mereça ser titular. Vamos colocar aquele que tenha a melhor condição. As opções são boas. Se o jogo fosse amanhã, teria de pensar bem”, comenta Gusmão.


A interrogação aumentou na cabeça de Gersinho após o empate de 1 a 1 com o J.Malucelli, em jogo-treino realizado na capital do estado. Reserva de Vandinho na primeira etapa da partida, Lucas Batatinha entrou no segundo tempo e marcou o gol que decretou a igualdade no placar.


Os dois candidatos possuem boas credenciais. Vandinho foi artilheiro da Taça FPF com seis gols marcados no ano passado. Já Batatinha foi o ‘matador’ da Divisão de Acesso pelo PSTC em 2014, com 12 gols marcados.


“O Vandinho é um atleta de velocidade. Já o Batatinha acrescenta um pouco mais de presença na frente com qualidade. Ele é um finalizador excepcional”, analisa Gerson Gusmão.

https://www.netesporteclube.com.br/artigo/Operario/3933/Gersinho-mantem-ataque-como-incognita-se-o-jogo-fosse-amanha-teria-de-pensar-bem" data-text="Gersinho avalia e mantém ataque do Operário Ferroviário como incógnita">
PublicidadeNEC