PublicidadeNEC

Simão opera milagres e Operário é campeão da Série C 2018

Goleiro tem atuação impecável e OFEC chega ao quinto título

Por: Felipe Gustavo em 23/09/2018 01:29:51 atualizado em 13/12/2018 00:45:46

Simão opera milagres e Operário é campeão da Série C 2018
Fantasma conquista mais uma taça - Foto: José Tramontin/OFEC

O Operário Ferroviário é campeão da Série C do Campeonato Brasileiro. O Fantasma conquistou o segundo título nacional consecutivo na noite deste sábado (22), jogando na Arena Pantanal, no Mato Grosso. O time comandado por Gerson Gusmão bateu o Cuiabá por 1 a 0 (4 a 3 no acumulado) e ergueu o ‘caneco’ perante 41 mil torcedores.

O duelo ficou marcado por uma paralisação de mais de uma hora e por milagres do goleiro Simão, que fez uma partida impecável. Com o resultado, o Alvinegro alcança a marca de cinco títulos em quatro temporadas: Paranaense 2015, Taça FPF 2016, Série D 2017, Divisão de Acesso do Paranaense 2018 e Série C 2018.

Apagão

Uma situação vexatória marcou o início da decisão. Em plena Arena Pantanal - estádio de Copa do Mundo e que custou R$628 milhões - a falta de energia elétrica quase adiou o confronto. Eram três minutos do primeiro tempo quando diversas lâmpadas do estádio se apagaram. O árbitro Marcelo de Lima Henrique (RJ) aguardou pela volta dos refletores e a bola voltou a rolar no Mato Grosso após 1h20 de paralisação.

1º tempo

O Operário era mais perigoso antes da luz apagar; o lateral Léo já havia finalizado com perigo na meta adversária. Na volta, porém, os donos da casa equilibraram as ações e passaram a ter mais posse de bola.

Do lado oposto, a proposta do técnico Gerson Gusmão era bastante ofensiva. Ele barrou o meia Robinho e escalou a equipe com Dione e Quirino. Apesar da aposta, quem assustou foi o Dourado. Aos 19 minutos, Jenison cabeceou para o chão e Simão, à la Gordon Banks, fez uma incrível defesa quase em cima da linha.

O Fantasma respondeu no lance seguinte: Cleyton aproveitou a bola espirrada na área e arrematou de primeira pela linha de fundo. Quirino e Bruno Batata pediam a bola no meio da área e ficaram na bronca.

Assim como no primeiro jogo, as jogadas mais perigosas do Cuiabá vinham pelo alto. Adriano Pardal e Ednei criaram duas oportunidades em sequência e quase abriram o placar.

‘São Simão’ voltou a operar um milagre nos acréscimos. Após cobrança de lateral na área, Adriano Pardal apareceu livre e, na pequena área, o camisa 1 do Operário cresceu para defender à queima-roupa, garantindo a igualdade no marcador.  

2º tempo

O Cuiabá voltou dos vestiários novamente com o meia Doda - que passou pelo Fantasma em 2015. Hiltinho deixou o gramado. Mais acuado, o time de Gersinho dependia dos contra-ataques. Aos 5 minutos, Dione desperdiçou um deles ao finalizar muito fraco, direto nas mãos do goleiro Victor Souza.

Foi o último lance de Dione na partida, que deu lugar ao volante Serginho Paulista. A mudança reconstituiu o poder de marcação da equipe e deu mais liberdade para Erick auxiliar na saída de jogo. Foi justamente ele quem começou a jogada do gol alvinegro.

O jovem volante acionou Quirino, que invadiu a área pela esquerda e bateu cruzado. A bola sobrou na segunda trave com Bruno Batata, que só teve o trabalho de completar para o fundo do gol, fazendo a alegria dos 200 torcedores do clube na Arena Pantanal.

A desvantagem fez Itamar Schulle agir rápido e soltar o time para o ataque. O centroavante João Carlos entrou na vaga de Adriano Pardal, enquanto Bruno Alves substituiu o lateral Jean. Gersinho, em contrapartida, colocou o veloz Robinho e o zagueiro Rodrigo; Quirino e Peixoto saíram.

A tônica da decisão era ataque contra defesa, com o Cuiabá correndo atrás do empate. Mas quem voltou a chegar perto do gol após a sequência de substituições  foram os visitantes. Robinho, Erick e Bruno Batata passaram perto de ampliar.

Com uma marcação forte, o Fantasma neutralizava o rival e afastava o perigo de todas as formas. As bolas alçadas na área eram as principais alternativas e poucas assustavam a meta.

Aos 45, mais três milagres aconteceram na Arena Pantanal. No primeiro, Danilo arrematou forte e Simão espalmou. No rebote, Doda arriscou e o goleiro alvinegro fez mais uma defesa. A mesma jogada ainda teve a famosa ‘sorte de campeão’: uma bola na trave do Fantasma, em desvio de Erick. Não tinha mais quem tirasse a taça das mãos do Operário Ferroviário Esporte Clube.

FICHA TÉCNICA

Cuiabá: Victor Souza; Jean (Bruno Alves), Ednei, Edson Borges e Danilo; Alê, Marino, Eduardo Ramos e Hiltinho (Doda); Adriano Pardal (João Carlos) e Jenison. Técnico: Itamar Schulle

Operário: Simão; Léo, Alisson, Sosa e Peixoto (Rodrigo); Chicão, Erick, Cleyton e Dione (Serginho Paulista); Quirino (Robinho) e Bruno Batata. Técnico: Gerson Gusmão

Data/Horário: 22/09/2018 (sábado), às 19h (de Brasília)

Local: Arena Pantanal, em Cuiabá (MT)

Público: 41.311

Renda: R$ 558.255,00

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)

Assistentes: Michael Correia (RJ) e Silbert Faria Sisquim (RJ)

https://www.netesporteclube.com.br/artigo/Operario/6784/Simao-opera-milagres-e-Fantasma-e-campeao-da-Serie-C" data-text="Simão opera milagres e Operário é campeão da Série C 2018">
PublicidadeNEC