PublicidadeNEC

Comércio do GK não consegue atender demanda em dia de clássico paranaense

Empresa terceirizada peca na organização das vendas e deixa torcida insatisfeita

Por: Raylane Martins em 12/02/2019 06:59:38 atualizado em 12/02/2019 07:20:06

Comércio do GK não consegue atender demanda em dia de clássico paranaense

Torcedores só podem consumir alimentos e bebidas vendidos dentro do próprio estádio - Foto: José Tramontin/Operário Ferroviário

Comércio do GK não consegue atender demanda em dia de clássico paranaense
PublicidadeNEC

Com público total de 5.964 pessoas no Germano Krüger para assistir ao duelo entre Operário Ferroviário e Coritiba na decisão da classificação da Taça Barcímio Sucupira, o comércio dentro do estádio não suportou o número de atendimentos.

No final do primeiro tempo, já não havia mais copos disponíveis para a venda de água, refrigerante e outras bebidas. O ticket que o torcedor compra para trocar pelo item que deseja passou a ser um recorte de um pedaço de papel com escrita a caneta. Além disso, aqueles que compraram o ticket referente a um produto e não conseguiram consumir também não puderam trocar por outro ou receber o dinheiro de volta.

Nas redes sociais, a torcida alvinegra cobrou melhorias. “Comprei as fichas antes do início do jogo para evitar filas. Quando tentei recuperar meu dinheiro, se negaram. Independente do valor, é dinheiro e eu paguei por um produto que não tinha. É de extrema importância melhorar o serviço. Acredito que isso afasta eventuais pessoas que querem frequentar o Germano”, relata Thiago Ferreira, torcedor do Fantasma.

Por conta do calor e sem opção de bebida, a torcedora Milena Dias chegou a passar mal. "O calor estava insuportável. Fui comprar água, não tinha copo. No segundo momento, não tinha nem refrigerante e nem água. Você vai ao estádio com sua família para se divertir e acaba se irritando. Serviço de qualidade é fundamental para manter o sócio-torcedor e conseguir novos", destaca.

A empresa que realiza o comércio no Estádio Germano Krüger possui contrato com o clube até o final deste ano. Dessa forma, a mesma equipe trabalharia nos jogos da Série B do Campeonato Brasileiro, que devem reunir ainda mais torcedores. Segundo Álvaro Góes, presidente do Grupo Gestor do Operário, o episódio é reincidente e a diretoria tentará solucionar o transtorno.

"Teremos que tomar alguma atitude, pois é inadimissível que tenha acontecido isso. Nem eu tinha água se quer saber. Tive que pegar água no banco de reservas porque não tinha água para vender no estádio. O problema é que leva o nome do Operário. Mas vamos tentar resolver. Quero ver se rompemos o contrato e, se não pudermos, vamos dar um jeito de administrar isso de forma diferente", garante Góes.

https://www.netesporteclube.com.br/artigo/Operario/7435/comercio-do-gk-nao-consegue-atender-a-demanda-em-dia-de-classico-paranaense" data-text="Comércio do GK não consegue atender demanda em dia de clássico paranaense">
PublicidadeNEC