'Oxigênio a mais', crava Gersinho após o Operário voltar a fazer gols na Série B

Treinador do Fantasma avaliou o desempenho da equipe na partida contra o Sport

'Oxigênio a mais', crava Gersinho após o Operário voltar a fazer gols na Série B

Vitória sobre o Sport Recife foi cravada com gol de pênalti de Schumacher e cabeceio de Felipe Augusto - Foto: José Tramontin/OFEC

O Operário Ferroviário voltou a vencer pelo Campeonato Brasileiro da Série B nesta terça-feira (28) depois de quatro rodadas. O time virou o jogo contra o Sport e obteve a vitória pelo placar de 2 a 1. Depois do duelo, o técnico Gerson Gusmão avaliou a performance do elenco e falou sobre a sequência da Série B. Confira as principais declarações.

ALÍVIO

A ansiedade para quebrar a ‘seca de gols’ vinha atormentando o elenco do Operário. No jogo contra o Sport, após igualar o marcador com gol de pênalti, a ‘cara’ do time foi outra. “A partir do momento que fizemos o gol, cada um ganhou um tubo de oxigênio a mais e conseguiu suportar o desgaste e buscar o resultado”, frisou o comandante. 

ALTERAÇÕES 

O treinador elogiou o desempenho dos estreantes da noite - Lázaro e Julinho - e de atletas como Lucas Batatinha, que sofreu o pênalti, e Maílton, que mostrou equilíbrio tanto em ataque quanto em defesa, sendo o principal nome do Fantasma nas bolas paradas. 

“Vai ser sempre assim. Se a gente tivesse perdido o jogo, o treinador tinha mexido errado. Quando a gente mexe e o time está perdendo e aí ganha, o treinador acerta. Temos que ter convicções e ver o que a gente entende e tem de conhecimento”, crava Gerson Gusmão.

INTERVALO 

O primeiro tempo de Operário e Sport terminou em 1 a 0 para o time visitante. Querendo buscar o empate e tentar beliscar a vitória, Gersinho precisou incentivar os atletas a reagirem. 

“A conversa no vestiário foi de cobrança porque não entramos da maneira que precisávamos entrar para ganhar o jogo. Cobrei o Schumacher, por exemplo, porque estava tentando jogadas muito longe da área e perdendo a bola. Teríamos que produzir e melhorar, com vontade e condição pra buscar o resultado”, afirma.

GRAMADO 

O confronto desta terça-feira (28) também ficou marcado pelas péssimas condições do gramado encharcado e com inúmeras falhas de nível. Mesmo assim, Gersinho já havia atentado para essa possibilidade antes mesmo de divulgar a lista de titulares. 

“O campo estava ruim dos dois lados. Os quatro cantos estavam com dificuldades. O setor mais seco era o meio, que era onde tinha mais gente, então era mais difícil conseguir alguma coisa por ali”, ressalta. “Se o campo estivesse em condições normais, seria o Alisson [na zaga]. Pela situação do jogo e pelo que a gente esperava que seria o jogo, decidimos pensar na estatura”, explica Gerson.

PRÓXIMA PARTIDA 

O Operário tem cerca de 10 dias para se preparar para a 7ª rodada da Série B, quando enfrenta o Brasil de Pelotas fora de casa. O treinador do Alvinegro quer vencer fora de casa para compensar os pontos perdidos com o mando, mas sabe que a tarefa não será fácil. 

“Sou gaúcho e sei da dificuldade que é jogar lá. Uma equipe forte em casa, que tem apoio do torcedor. O que nos cabe é preparar a equipe dentro das dificuldades que sabemos que vamos encontrar lá para buscar o resultado. Vamos buscar os pontos fora”, garante. 

ELENCO

Um novo centroavante havia sido prometido pela diretoria do Fantasma para a disputa da Segunda Divisão Nacional, mas a nova peça deve demorar para chegar.“Ainda estamos atrás de um jogador, mas mais de 50% dos clubes do Brasil estão em busca de um camisa 9. Nós estamos trabalhando muito para buscar um atleta dentro do orçamento do clube que possa chegar e acrescentar", conta Gersinho.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!