Sport vai pedir anulação do jogo com o Operário? Não é bem assim; entenda

Leão até pensou na possibilidade, mas mudou de ideia ao consultar advogado

Sport vai pedir anulação do jogo com o Operário? Não é bem assim; entenda

Confronto entre Operário e Sport aconteceu na última terça (28) e terminou em 2 a 1 para o Fantasma - Foto: José Tramontin/OFEC

Após ser derrotado pelo Operário Ferroviário no Estádio Germano Krüger e perder a invencibilidade no Campeonato Brasileiro da Série B, o Sport Recife expôs publicamente a indignação quanto ao resultado. A Assessoria de Imprensa do clube informou que, no entendimento da diretoria, a arbitragem foi injusta quando permitiu que a partida acontecesse nas condições em que o gramado se encontrava e ainda, no decorrer da partida, teria favorecido o time mandante.

Logo depois do duelo, a direção da equipe pernambucana disse que tentaria pedir a anulação do jogo, mas, ao tentar levar a ideia adiante, percebeu que os argumentos seriam insuficientes. “Foi feita uma consulta para ver a possibilidade de pedirmos a anulação do jogo, mas infelizmente o nosso advogado disse que não caberia”, contou o Diretor de Futebol do Sport, Nelo Campos, em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (30).

“A decisão para permitir a disputa da partida é exclusivamente do árbitro. Antes de iniciar a disputa, a equipe de arbitragem tem como procedimento avaliar diversos fatores que influenciarão a partida, dentre eles a qualidade do gramado. Inclusive, se no decorrer da partida o gramado não mais apresentar qualidade para a disputa, o árbitro pode paralisá-la”, esclarece o advogado especialista em Direito Desportivo, José Mario Pirolo Neto.

Assim, o procedimento especial de impugnação de partida, previsto no Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), não conseguiria ser justificado pela parte, por se tratar de uma decisão subjetiva do árbitro.

Diante disso, a diretoria do Leão optou por fazer uma representação junto à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para pedir que alguma atitude seja tomada com relação à suposta incoerência da arbitragem. Os argumentos da diretoria do Sport são baseados nas más condições do gramado, em um pênalti irregular que teria sido dado ao Operário e numa falta não marcada sobre o goleiro Maílson. Nesses três momentos, o Sport considera que foi prejudicado pelo árbitro.

“Todos concordavam com o adiamento do jogo, era claro, era público. O maior erro do árbitro foi ter dado condições de jogo naquele campo. Ele foi imprudente, colocando a integridade dos 28 jogadores que participaram daquele jogo em risco. Não tinha motivo para aquela partida não ter sido adiada”, afirma Nelo Campos.

Já no entendimento do árbitro responsável pelo duelo entre Operário e Sport, Rodrigo Nunes de Sá, o campo estava em condição de jogo. Mesmo quando consultado no intervalo, ordenou que fosse dada sequência ao confronto.

Um documento de representação com anexos será entregue pessoalmente à CBF pelo presidente do Sport nesta sexta-feira (31). Resultados e o Campeonato Brasileiro da Série B em si não serão afetados.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!