Operário Ferroviário está entre os piores ataques da Série B do Brasileiro

Fantasma passou quatro das sete rodadas em branco

Operário Ferroviário está entre os piores ataques da Série B do Brasileiro

Felipe Augusto (7) foi o único que conseguiu marcar duas vezes na Série B pelo Fantasma - Foto: José Tramontin/Operário Ferroviário

PublicidadeNEC

A Série B do Brasileiro não começou do jeito ideal para o Operário Ferroviário. Irregular, o Fantasma voltou a ficar perto da zona de rebaixamento da competição e amarga um dado negativo: a equipe tem o pior ataque da segunda divisão ao lado de outros quatro clubes. São apenas quatro gols anotados em sete partidas disputadas.

Ao lado do time comandado por Gerson Gusmão estão Figueirense (9º colocado), Oeste (13º), Criciúma (17º) e Guarani (19º).

Para o Operário, esse jejum é notório. Das sete rodadas, o ataque alvinegro passou em branco em quatro. O artilheiro de Vila Oficinas na Série B é o atacante Felipe Augusto, que balançou as redes em duas oportunidades. Uilliam e Schumacher completam a lista com um gol cada.

Nenhum jogador do Fantasma marcou mais de dois gols na atual temporada. Contando o Paranaense, a equipe já disputou 19 jogos oficiais.

Na Série B, ao lado dos clubes com o pior ataque, o Operário é um dos que mais precisa finalizar para marcar um gol. São 20 chutes em média para que a bola entre. O Alvinegro também é um daqueles que em média mais precisa trocar passes para balançar as redes. São 570 passes para cada gol marcado no torneio. O Atlético-GO, por exemplo, troca 232 passes por gol em média.

O cenário para o Fantasma pode começar a melhorar nesta terça-feira (11) - dia do último compromisso antes da pausa para a Copa América. O clube de Vila Oficinas visita o Paraná Clube, às 21h30, na Vila Capanema, em Curitiba.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
PublicidadeNEC