Gersinho lamenta mau primeiro tempo e erros aéreos do Operário em Recife

Técnico se frustra com rendimento coletivo em nova derrota fora de casa

Gersinho lamenta mau primeiro tempo e erros aéreos do Operário em Recife

Gersinho tem semana cheia pela frente até a próxima rodada da Série B do Campeonato Brasileiro - Foto: José Tramontin/Operário

A derrota por 3 a 1 para o Sport, em Recife, incomodou o técnico Gerson Gusmão. Após a partida, o treinador do Operário mostrou desapontamento com o rendimento coletivo - especialmente no primeiro tempo - e lamentou as falhas na bola aérea defensiva, o que parecia ter mudado em Vila Oficinas. Confira trechos da coletiva do comandante alvinegro!

AVALIAÇÃO GERAL

"Nossa equipe ficou muito abaixo coletivamente no primeiro tempo. Hoje o adversário foi superior e buscou a vitória. No segundo tempo melhoramos, tentamos mais jogada pelos lados, mas tivemos descuido em bola parada com o Charles. No primeiro tempo já tivemos essa desatenção por duas vezes. Aí foi determinante e um balde de água fria. Quando colocamos o Peixoto para aumentar a estatura na bola aérea, sofremos o gol de imediato".

SAÍDA DE JULINHO

"O Julinho pediu para sair porque vinha sem ritmo de jogo e sabíamos que ele poderia ser uma substituição certa. Havia feito uma ótima partida em Ribeirão e vinha bem hoje na parte defensiva, mas foi prejudicado pelo condicionamento da questão do ritmo. Então foi de ordem física a mudança".

BOLA AÉREA

"Hoje foi o nosso problema. Em outros jogos melhoramos nesse aspecto. Mas aqui poderíamos ter tomado o gol de cabeça ainda na primeira etapa".

DESEMPENHO COM UM A MAIS

"A gente voltou melhor já no início do segundo tempo e poderíamos ter empatado ali. O Sport se retraiu. Mas aquele segundo gol foi determinante para o que ocorreu depois".

SAÍDA DE GELSON

"O Gelson estava meio perdido, meio assustado. Com o Chicão organizamos o meio e acertamos a marcação, principalmente o desempenho sem a bola. A mecânica não estava funcionando como a gente esperava. Não só pelo Gelson, mas precisávamos alterar".

CLÉO SILVA TITULAR

"A intenção era fazer o que o Sport fez no final do jogo, mas fomos mal no primeiro tempo e a bola não chegava. Outro objetivo era ajudar na recomposição. Sabíamos que o Sander é um lateral que faz o apoio muito bem por aquele lado; então precisávamos de um atleta com força para recompor e apoiar. No segundo tempo, quando melhoramos, ele conseguiu criar mais jogadas pelas pontas".

Compartilhe essa notícia com seus amigos!