Gersinho fala sobre desequilíbrio de resultados do OFEC dentro e fora do GK

Técnico do Fantasma vê manutenção de aproveitamento em casa como desafio

Gersinho fala sobre desequilíbrio de resultados do OFEC dentro e fora do GK

O técnico do Operário Ferroviário, Gerson Gusmão, concedeu entrevista coletiva à imprensa nesta sexta-feira (4) - Foto: José Tramontin/ OFEC

Os pontos conquistados pelo Operário Ferroviário no Estádio Germano Krüger sustentam a campanha do alvinegro na Série B do Brasileirão. O time tem 80% de aproveitamento como mandante e 17% de aproveitamento como visitante. Depois de duas partidas fora de casa, o Fantasma volta aos seus domínios e enfrenta, respectivamente, Brasil de Pelotas e Paraná Clube em Vila Oficinas. 

Com apenas uma vitória como visitante, o elenco procura cumprir o dever de casa no Germano Krüger. Na opinião do técnico Gerson Gusmão, manter o aproveitamento como mandante será ainda mais difícil do que melhorar como visitante a partir de agora, porque os oponentes virão cada vez mais preparados. 

"Talvez seja mais difícil manter esse aproveitamento em casa do que melhorar fora. É uma dificuldade que vamos ter agora, os adversários já conhecem a nossa equipe e sabem da força do Operário dentro de casa. Vamos ter que passar por cima do conhecimento e da preparação que esses adversários estão trazendo para jogar contra nós aqui. Não vai ter jogo fácil. Agora qualquer equipe vai estar brigando por alguma coisa, cada jogo vai ser uma final", afirma o treinador. 

O comandante descarta qualquer pressão exagerada pela vitória em casa após terem trazido somente um ponto da sequência fora. Por outro lado, ressaltou que, continuando a vencer no Germano Krüger e obtendo a pontuação necessária para se manter na parte de cima na classificação, não terá tantos motivos para se preocupar com os pontos desperdiçados na casa dos rivais. 

"Se formos o melhor mandante e o pior visitante mas conseguirmos o nosso objetivo, não tem problema. O que me interessa é a pontuação total. Temos 13 jogos a fazer, sete em casa. Se estivermos em uma condição de boa pontuação, não me incomoda nem um pouco nós sermos o pior visitante. O que vale para nós não é ser o melhor em casa ou ser o melhor fora, é chegar no nosso objetivo", crava Gersinho. 

BRASIL DE PELOTAS

Uma semana depois da derrota para o Sport na Ilha do Retiro, o Operário enfrenta o Brasil de Pelotas neste sábado (5), às 19 horas, no Estádio Germano Krüger. O grupo completo teve quatro dias de trabalhos táticos. "No treino de quarta e de quinta fizemos muitas situações de bola parada, principalmente de bola parada defensiva. A primeira coisa que temos que fazer é detectar os problemas e um deles é a bola parada. Tivemos que posicionar, corrigir, alterar um ou outro posicionamento, mas principalmente treinar e treinar muito", destaca Gerson Gusmão. 

Compartilhe essa notícia com seus amigos!