“Não adianta o torcedor achar que uma vaia vai resolver”, rebate Gerson Gusmão

Treinador fala sobre manifestações negativas com alguns atletas do elenco

“Não adianta o torcedor achar que uma vaia vai resolver”, rebate Gerson Gusmão

Gerson Gusmão comentou as reações de parte da torcida em coletiva de imprensa no Estádio Couto Pereira - Foto: João Vitor Rezende

PublicidadeNEC

Em entrevista coletiva após a partida contra o Coritiba no Couto Pereira, o técnico do Operário Ferroviário, Gerson Gusmão, abordou algumas manifestações negativas de parte da torcida alvinegra com alguns atletas nos jogos em casa. Questionado sobre as vaias, principalmente destinadas ao volante Índio, o treinador discordou da reação dos torcedores e defendeu o atleta que está no clube desde o início da Série D.

Perguntado sobre o rendimento do jogador, um dos atletas vaiados na última partida em casa contra o São Bento, Gersinho abordou o tema: “[O Índio] foi muito bem, como já havia sido no último jogo em casa também. É um jogador que está com uma regularidade alta na competição. Acho que em alguns momentos a vaia é aceitável, principalmente quando não se conquista o resultado. Entendo que algumas vezes, em relação ao Índio, são exageradas, não procedem e não sei porque isso acontece”.

“As vezes um grupo pequeno de torcedores, não é a maioria, escolhe um ou outro atleta pra crucificar ou pegar no pé e acho descabido em relação ao Índio e outros atletas também. O Índio é um jogador que ajudou a construir essa história do clube desde a Série D e em um nível muito alto”, complementou.

O técnico reforçou que a crítica é destinada a parte da torcida e que as reações negativas em demasia interferem no rendimento do atleta durante o jogo. “São alguns torcedores, é injusto vaiar o atleta quando ele pega na bola, no aquecimento e isso não nos ajuda em nada, porque é um jogador que se entrega. É um jogador não pode perder a confiança e temos falado isso com ele, é um jogador que nos ajuda nessa saída de bola, no passe qualificado”, analisou.

Nesta Série B, o volante é o 28º jogador com mais passes certos no campeonato (928) e o melhor do clube no fundamento, tendo índice de 92% de acerto. Índio também o primeiro do Fantasma em interceptações (16) e o segundo que mais fez desarmes (53). Por outro lado, é o que mais cometeu faltas (53) e o que mais tomou cartões amarelos (10).

Gerson Gusmão pediu paciência aos torcedores em algumas situações e destacou a importância de jogar em casa, com o Operário tendo a quarta melhor campanha como mandante. “As vezes é preciso ter um pouco de paciência com alguns atletas, principalmente dentro de casa, pra que a gente continue sendo forte. Não adianta o torcedor achar que uma vaia vai resolver o problema, pelo contrário, as vezes piora, tira a confiança do jogador e sabemos que nossa força em casa depende da nossa torcida. A grande maioria da torcida incentiva, canta, mesmo quando a equipe está perdendo e é isso que a gente precisa”, finaliza o comandante alvinegro.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!