‘Faltou gol’: Gersinho fala sobre o que o Operário deixou a desejar na Série B

Comandante lamenta gols desperdiçados principalmente na reta final

‘Faltou gol’: Gersinho fala sobre o que o Operário deixou a desejar na Série B

Ataque do Operário criou na Série B, mas foi pouco efetivo no último passe e no momento do chute à gol - Foto: José Tramontin/ OFEC

PublicidadeNEC

O Operário Ferroviário cumpriu a meta inicial para a Série B de 2019, garantindo a permanência na Segunda Divisão Nacional, depois do confronto contra o Atlético-GO no 2º turno, quando chegou aos 45 pontos. Até a 31ª rodada da Série B, o Operário Ferroviário ainda tinha probabilidade considerável de acesso à Série B Naquele momento, a probabilidade girava em torno de 6,9%. Cinco rodadas depois, o alvinegro deu adeus às chances de subida para a Série A com uma derrota para o Guarani.

Questionado sobre a principal falha do Operário na primeira Série B do clube depois de 28 anos, Gersinho foi direto: ‘Faltou gol’. Apesar de reconhecer que em alguns jogos o setor defensivo tomou muitos gols, os desperdícios da parte da frente foram a maior ‘lamentação’ do técnico. 

“Faltou gol. Ser mais efetivo. Produção teve. Se pegar contra o líder do campeonato, a melhor equipe, a equipe campeã, nós tivemos dez oportunidades no primeiro tempo e não fizemos gol, eles tiveram três durante toda a partida e venceram por 2 a 0. Em 80% dos jogos criamos mais que os nossos adversários, em mais de dez jogos tivemos domínio extremamente superior em termos de finalização, de chegar dentro da área, cara a cara com o goleiro - e perdemos essas oportunidades”, analisa. 

O saldo de gols do Operário, chegando a última rodada, é de -9 gols. Foram 31 gols feitos e 40 gols sofridos pela equipe. Mesmo na rodada em que o alvinegro chegou a ocupar momentaneamente o G-4, após a 21ª rodada, o saldo já era uma preocupação - o Fantasma havia sofrido um gol por partida e tinha média de gols inferior à um gol por jogo.

“Claro que não foi só isso, tivemos outros erros, mas o principal foi falta de gol. Os números demonstram isso. Uma equipe que quer conquistar objetivos grandes não pode ter um número maior de jogos do que de gols, como não pode ter um número maior de gols sofridos do que de jogos”, ressalta Gersinho.

Tentando encerrar a Série B com uma vitória, o Operário vai a campo neste sábado (30), às 16h30, pra enfrentar o Figueirense. O confronto acontece em Florianópolis, no Estádio Orlando Scarpelli.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
PublicidadeNEC