Dez anos de história e, de presente, a Série B: o que foi 2019 para a TTF

Organizada do OFEC viveu uma competição nacional expressiva pela 1ª vez

Dez anos de história e, de presente, a Série B: o que foi 2019 para a TTF

A TTF - torcida organizada do Operário Ferroviário - tem dez anos de história e ocupa a ‘curva’ da arquibancada geral em todos os jogos - Foto: João Vitor Rezende

Depois de dois anos seguidos com o Operário Ferroviário conquistando títulos, a temporada 2019 não trouxe troféu, mas carregou uma experiência diferente para os alvinegros. Recriada em 2009 com a fusão de três grupos de torcedores, a Torcida Trem Fantasma - organizada do Operário - tornou-se a mais forte do interior do estado do Paraná. Ao longo de sua história esteve ativa em campeonatos estaduais, no título Paranaense de 2015, Taça FPF, Copa do Brasil e Séries C e D.

A comemoração dos dez anos da 'Trem' justamente quando o Operário chegava à Série B deu outro sabor a 2019. “Foi um ano espetacular. O meu sonho e acredito que o de muitos torcedores era estar na Série B”, afirma o diretor Lincoln Almeida.

A avaliação da temporada, competitivamente, também é de modo geral positiva. O Campeonato Paranaense ficou abaixo das expectativas, mas na Série B, para a maioria dos torcedores, a manutenção e a colocação entre os dez neste primeiro ano foi suficiente.

“Não via ser uma obrigação subir logo de cara para a Série A. No Paranaense aí sim faltou algo a mais e poderíamos ter ficado melhor na tabela”, avalia Lincoln. "Nossos principais objetivos para o ano eram uma vaga na Copa do Brasil e a permanência na Série B. Isso foi conquistado", frisa o também diretor da Trem Fantasma, Jackson Lino Maciel.

Mas a temporada não foi um mar de rosas do início ao fim. Na Série B, o Operário dormiu no G4, mas também esteve na zona de rebaixamento. A Trem Fantasma não desanimou - continuou cantando os 90 minutos e surpreendeu inclusive o técnico Gerson Gusmão.

“A TTF foi muito paciente, muito mesmo. Recebemos várias críticas - ‘nós, como a principal instituição do clube, não iríamos fazer nada?’ Mas estávamos fazendo. Enquanto tinham vaias e críticas, a TTF estava cantando. Nós da diretoria conversamos muito. Se continuasse a fase ruim, iríamos sim nos manifestar, mas graças a Deus não precisou”, relembra Lincoln. 

"A Trem Fantasma foi o principal jogador em campo neste ano, mesmo quando o time esteve em uma fase não muito boa, mantivemos nossa postura de apoiar o time 90 minutos sem parar. Não foi preciso nada extremo. Diretoria e jogadores entenderam o recado jogo após jogo", afirma Jack.

E 2020? 

O Operário Ferroviário está reformulando o elenco e quer começar 2020 com uma nova proposta. A diretoria investirá mais em elenco e quer força máxima nos três campeonatos a serem disputados: Paranaense, Copa do Brasil e Série B. "Espero um time competitivo que alcance nossos objetivos e traga título para o nosso clube, aumentando ainda mais a 'estrada florida' do Operário Ferroviário", diz Jack.

"Falando em nome da torcida: em 2020 nós esperamos além de vitórias muita, mas muita garra e raça. Comprometimento do time com o clube e com a torcida”, crava Lincoln.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!