Diretores da AAFA relembram marcos e aprendizados do Operário em 2019

Torcedores destacam importância da bagagem adquirida pelo clube na Série B

Diretores da AAFA relembram marcos e aprendizados do Operário em 2019

Em 2019, a Associação Avante Fantasma (AAFA), responsável pelo ‘Papo de Boteco’, chegou à marca de 300 edições do programa - Foto: Arquivo Pessoal

PublicidadeNEC

“De cara, um adversário dos mais indigestos, o América Mineiro. Tudo era novidade pra gente, desde as placas de publicidade de grandes marcas, até as vans da SporTV no estacionamento. A torcida estava numa ansiedade enorme de ver o time voltar pra Série B, e muitos ali, como eu, estavam presenciando isso pela primeira vez. O estádio lotou. As arquibancadas pulsaram. A ‘Trem’ cantou com muita força o tempo todo. O gol do Uilliam fez o estádio vir abaixo. Não teve jogo mais emocionante que aquele nesse ano, por tudo que rolou dentro e fora de campo”: assim o diretor de marketing da Associação Avante Fantasma (AAFA) define o melhor jogo do Operário Ferroviário em 2019. 

Apesar do insucesso no Campeonato Paranaense, a temporada 2019 foi um marco na história do Fantasma - o clube não jogava uma Série B desde 1991. A experiência trouxe aprendizados não só para os gestores, jogadores e comissão técnica, mas para os próprios torcedores que viveram o ano com intensidade.

“Acho que o nosso melhor jogo foi contra o Londrina, na volta do campeonato, após a pausa para a Copa América. A gente precisava daquela vitória contra um rival para trazer de volta a confiança no restante do campeonato. Fizemos um primeiro tempo perfeito”, relembra Jean Martins, presidente da AAFA.

Os jogos televisionados, o destaque como mandante e a colocação final entre os dez primeiros deram enorme visibilidade ao Fantasma de Vila Oficinas. Mas ao longo do campeonato, muita coisa aconteceu. “Foi um ano de muito aprendizado para o time, mas também para a torcida, que começou a entender que campeonatos longos e equilibrados não são fáceis, e que nenhuma derrota ou erro é o fim do mundo”, destaca Dyego Marçal. 

Em 2020, jogadores que por muito tempo foram identificados com a torcida, como o volante Chicão, não farão mais parte da equipe. O elenco será reformulado para buscar o título estadual e o acesso à Série A no próximo ano. 

“Sempre fico apreensivo, pois para um time dar certo depende muito de encaixar as peças, entrosamento e principalmente é sobre o atleta saber assimilar o esquema do Gersinho trabalhar”, afirma Jean. “Não posso esperar nada diferente de qualquer outro torcedor apaixonado. Títulos, alegrias, boas apresentações na Copa do Brasil pra encher o cofre e, principalmente, evolução. A evolução do time é o que mantém acesa a chama da torcida e atrai novos torcedores, o que mantém o time na mídia e atrai novos investidores. Evolução atrai evolução”, completa Dyego.

A AAFA foi fundada em 2012 e é uma associação de torcedores do Operário, com sede física e responsável pelo programa ‘Papo de Boteco’, que completou 300 edições em 2019.

“Esperamos um time forte, que brigue para ser campeão estadual, que consiga ir o mais longe possível na Copa do Brasil e que consiga o acesso à Série A 2021. Sempre confiante”, destaca o presidente. “Muitos dizem que a Série B é o nosso lugar. Concordo se for pra considerar que as séries inferiores são pouco pro Operário. Mas sempre sonho alto. Acho que um time de futebol nunca deve se conformar com o seu patamar, e sempre buscar mais”, acredita Dyego para 2020.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
PublicidadeNEC