Betão: de goleiro do Operário na década de 1990 a preparador da base

Ex-jogador do Fantasma treina goleiros para a Copa São Paulo

Betão: de goleiro do Operário na década de 1990 a preparador da base

José Roberto de Oliveira, conhecido como Betão, foi jogador do Operário em 1991 e 1992; 27 anos depois volta ao OFEC - Foto: Raylane Martins

PublicidadeNEC

José Roberto de Oliveira, 59 anos. Betão, como é conhecido, foi goleiro por 23 anos. Saiu de casa aos 16, passou por clubes de São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Maceió, Mato Grosso e Paraná. Vestiu a camisa do Fantasma em 1991 e 1992 - 91, inclusive, foi o ano da última Série B do Operário antes de 2019.

“Voltando revi vários amigos, imprensa da minha época de jogador que até se emocionou quando me viu. Tive uma passagem muito boa aqui. Hoje a estrutura é outra, nem se compara. Naquele tempo era o Operário também com a sua torcida exigente e com a casa sempre cheia, com cobrança também, mas hoje é outra estrutura, outro patamar”, lembra.

Depois da aposentadoria em Santa Catarina, ele embarcou no desafio de treinar goleiros no time paranaense do União Bandeirantes. Ali trabalhou com goleiros por 15 anos. Depois, colecionou passagens por vários clubes e treinou goleiros renomados como Fábio, do Cruzeiro, e o goleiro Danilo, falecido no acidente da Chapecoense.

Betão volta a vestir a camisa do Operário depois de 27 anos a convite do diretor das categorias de base do Operário, Paulo Balansin, que já conhecia o goleiro da época de jogador. Antes de chegar ao Fantasma, Betão passou pelo Cascavel e pelo Apucarana. Ele esteve diversas vezes no Germano Krüger em partidas amistosas e jogos do estadual contra o FC Cascavel.

Pela terceira vez embarcando na Copa São Paulo de Futebol Júnior, Betão valoriza o momento da carreira e o desafio colocado em suas mãos.

“Passo para eles que é uma oportunidade imensa. Lá estão os melhores. Precisamos nos preparar. Estamos trabalhando com afinco e muita dedicação. Os três goleiros têm qualidade e têm tudo para dar certo. Eu joguei, estive ali também, já tive a idade deles, então procuro passar coisas boas, coisas que futuramente vão acontecer com eles não só como jogador, como pessoa também. O extracampo é muito importante hoje”, destaca Betão.

Os goleiros à disposição do Operário para a Copa São Paulo são Fabrício, Luiz Gustavo e Lucas Barcelos. O elenco alvinegro estreia no campeonato no dia 4 de janeiro, contra o São Paulo.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!