Fernando, zagueiro da base, fala sobre o elenco da Copinha: ‘vamos impressionar’

Alvinegro se prepara para jogar a Copa São Paulo de Futebol Júnior pela 1ª vez

Fernando, zagueiro da base, fala sobre o elenco da Copinha: ‘vamos impressionar’

Fernando pertence ao elenco que vestiu a camisa do Fantasma no Campeonato Paranaense sub-19 de 2019 - Foto: José Tramontin/ OFEC

PublicidadeNEC

No dia 4 de janeiro, o Operário Ferroviário estreia na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Até lá o elenco treina em ritmo intenso e, nesta sexta-feira (20), faz o terceiro jogo-treino da pré-temporada. Mesmo com o pouco tempo de preparação e diante de equipes experientes no campeonato, o elenco alvinegro não se amedronta. A receita, além do trabalho dia a dia: acreditar. 

“Eu acho que vamos impressionar. Tem gente que não acredita, mas tem gente que acredita, nós acreditamos. Vamos ‘pra cima’ dos caras. Vamos impressionar. Estamos confiantes no nosso trabalho e o treinador também”, afirma o zagueiro Fernando Monteiro. 

A estreia diante do atual campeão da Copinha, que poderia deixar o grupo apreensivo, transformou-se na verdade em motivação. “Eu falo que lá é 11 e nós somos 11. Do mesmo jeito que eu marco nos treinos vou marcar eles também. Não tem que ter medo, é acreditar e ir pra cima. Se o Léo fez gol no Athletico, se o Patrick fez gol no Coritiba, podem fazer gol no São Paulo também, podem desarmar um jogador do São Paulo; o Fabrício também pode pegar um pênalti de um jogador do São Paulo. É acreditar”, ressalta.

Aos 19 anos, Fernando jogará a Copinha pela primeira vez. O atleta deixou a casa dos pais aos 16 anos para tornar-se jogador de futebol. Na época, foi descoberto por um olheiro no projeto da Escolinha São Lourenço, na comunidade em que morava com a família, em São Paulo. Ele fez as malas e foi morar no Rio Grande do Sul, onde jogaria pelo TAC Três Passos. 

Mesmo em meio a saudade de casa, motivado pela mãe, Fernando sempre insistiu. Depois do TAC, passou pela base da Chapecoense e, no início de 2018, veio para o Operário. “Meu primeiro treino já foi um coletivo contra o profissional. Joel gostou de mim. Gersinho gostou de mim. E foi aí que minha carreira começou”, lembra. 

A notícia de que jogaria a Copa São Paulo chegou de surpresa, enquanto o jogador estava em férias. “Eu estava em casa com aquele pensamento de que podia ter dado mais, podia ter feito mais. Falei pra minha mãe que abriria mão das minhas férias pra estar jogando, pra estar no profissional, pra fazer parte de alguma coisa. Eu estava deitado conversando com ela quando recebi um monte de mensagem. A Tia Luciele me ligou e disse: ‘Menino, você tá sabendo? Vocês vão jogar a Copa São Paulo’. Eu falei: ‘Mentira’. E foi aí que eu olhei no site e estava a confirmação. Eu comecei a chorar. Minha mãe começou a chorar. E eu falei pra ela: ‘agora é minha oportunidade’”, lembra. 

Segundo Fernando, treino após treino, os atletas estão entendendo o estilo de jogo e a ‘pegada’ necessária para a competição. Tanto para os remanescentes do sub-17 quanto do sub-19, esta é uma oportunidade de mostrar desempenho ainda melhor do que o mostrado nos estaduais. A Copa São Paulo é a principal competição de base do país e uma das melhores vitrines para os atletas sub-20. 

Compartilhe essa notícia com seus amigos!