Alterações mudam a cara do time e Operário vence o Rio Branco em casa

Gols do Fantasma foram marcados por Tomás Bastos e Douglas Coutinho

Alterações mudam a cara do time e Operário vence o Rio Branco em casa

Douglas Coutinho marcou dois dos três gols do Fantasma contra o Rio Branco - Foto: João Vitor Rezende

Pela 4ª rodada do Campeonato Paranaense 2020, o Operário Ferroviário venceu o Rio Branco por 3 a 2, no Estádio Germano Krüger. As alterações do Fantasma depois do intervalo mudaram a cara do jogo e, com mais movimentação na segunda etapa, Douglas Coutinho e Tomás Bastos balançaram as redes. Chegando a seis pontos, o Operário alcança a terceira colocação da tabela de classificação.

PRIMEIRO TEMPO

O Rio Branco deu mais trabalho que o esperado para o Operário no começo do jogo. Em escanteio no primeiro minuto do jogo, o Leão da Estradinha teve a primeira oportunidade, mas o jogador estava impedido. Antes que o cronômetro marcasse 5 minutos de jogo, a equipe apertou mais duas vezes.

Com apenas três homens de meio-campo, o Operário mostrava dificuldade no trabalho de bola e no encaixe das jogadas. Aos 8 minutos, Tomás Bastos levou perigo à meta do goleiro Dalton em bola parada. O jogador bateu direto e a bola passou por cima, colada na trave. Minutos depois, em outra bola parada do lado direito do campo, Tomás Bastos optou por jogada ensaiada e, ao invés do chute, colocou em Régis Potiguar no meio do campo, mas o volante do Fantasma pegou mal, usou muita força e chutou longe.

 O Rio Branco chegou à frente principalmente com Balotelli e Filipe Nunes, que usavam mais velocidade e se infiltravam. Do outro lado, o Operário teve Douglas Coutinho em quase todas as bolas perigosas. Aos 28, Sávio usou o corredor e, na área, atrapalhado pelo zagueiro, colocou no camisa 7, que desequilibrado não conseguiu acertar a mira.

Na sequência, Schumacher criou outra chance ao tirar a bola da defesa e chutar rasteiro para alguém empurrar no meio, mas o goleiro do Rio Branco antecipou e acabou com a chance do alvinegro. O goleiro também salvou o Leão aos 35 minutos de jogo, quando Coutinho colocou a bola no canto direito e Dalton tirou no susto, arrancando suspiros da torcida da casa.

Nos momentos finais do 2º tempo, Felipe Santos cobrou uma falta direta, frontal à meta de André Luiz. A bola passou por todos os jogadores e o goleiro do Operário precisou esticar para fazer a defesa. A resposta do Operário foi aos 47: Douglas Coutinho girou na área e surpreendeu a defesa adversária, mas acertou o gol pelo lado de fora. Com isso, a etapa inicial terminou sem gols em Ponta Grossa.   

SEGUNDO TEMPO

Filme repetido: assim como na partida contra o FC Cascavel, o Operário que foi a campo no 2º tempo parecia outro. Gersinho fez duas alterações para salvar o meio-campo, voltando para o 4-4-2. Eduardo e Schumacher deram lugar à Cleyton e Jefinho, que mudaram o rumo da partida.

Depois das mudanças, o Operário passou a ocupar melhor o meio e ganhou movimentação. Tanto Cleyton quanto Jefinho brigavam pelas bolas e participavam das jogadas do alvinegro. O resultado veio aos 6 minutos: Cleyton colocou em Danilo, que infiltrou e fez o cruzamento. Ninguém do Rio Branco acompanhou. A bola passou por Jefinho, que furou e deixou para Douglas Coutinho abrir o placar: 1 a 0.

O Operário se empolgou depois do gol e deu trabalho ao goleiro do Rio Branco. Aos 12 minutos, Régis Potiguar quase ampliou em cobrança de falta. Do meio, o atleta bateu rasteiro. O goleiro defendeu e o Fantasma quase empurrou no rebote.

Na empolgação, o Fantasma acabou deixando o Rio Branco empatar aos 14 minutos. Em cochilo da defesa, Douglas Santos subiu no meio de todo mundo, recebeu de cruzamento e empurrou para a meta, sem dar chances para o goleiro André Luiz. Cientes do deslize, o Fantasma reagiu: do outro lado, mais uma vez Danilo cruzou. Dessa vez, foi Tomás Bastos quem recebeu determinado e colocou os donos da casa em vantagem novamente.

O confronto ficou acelerado e o técnico Tcheco fez alterações, mas cinco minutos depois do segundo gol do Operário, Douglas Coutinho fez mais um. Jefinho lançou e, cara a cara com o goleiro, o camisa 7 deixou Dalton se adiantar e bateu em direção ao canto direito. A bola foi tranquila até balançar as redes: 3 a 1 para o Fantasma.

Jefinho pressionava a saída de bola. Tanto ele quanto Douglas Coutinho tiveram mais oportunidades no decorrer do duelo. Aos 39, o Rio Branco pegou o Operário distraído mais uma vez e descontou no susto, com Batoré. Com os jogadores mais cansados fisicamente, o Operário procurou acalmar o jogo e segurar a vantagem até o apitar do árbitro. Alemão, atleta da base que jogou a Copa São Paulo pelo Fantasma, teve a oportunidade de entrar em campo. A partida foi até os 48, mas o placar não mudou mais e terminou em 3 a 2.

PRÓXIMO JOGO

O Operário Ferroviário volta a jogar na próxima quarta-feira (29), pela 4ª rodada do Campeonato Paranaense 2020. O confronto é contra o Coritiba, em Curitiba. A bola rola a partir das 20 horas.

FICHA TÉCNICA

Operário: André Luiz; Sávio, Douglas Nascimento, Sosa e Danilo; Jardel, Régis Potiguar e Tomás Bastos (Alemão); Eduardo (Cleyton), Douglas Coutinho e Schumacher (Jefinho). Técnico: Gerson Gusmão

Rio Branco: Dalton, Lito, Salazar, Renato (Daniel) e Higor; Paulo Henrique (Douglas Santos), Felipe Nunes, Artur e Filipe Santos (Batoré); Balotelli e Bruno Andrade. Técnico: Tcheco

Arbitragem: Eduardo Elias Melek (árbitro); Eduardo Luis Teixeira Furiatti e João Cleber Cecatto Wagner (assistentes); e Rodrigo Posser Borges (4º árbitro)

Cartões amarelos: Daniel (RIO BRANCO)

Gols: Douglas Coutinho, aos 6' e aos 21', Tomás Bastos aos 16' (OFEC); Douglas Santos, aos 14', Batoré, aos 19' (RIO BRANCO). Todos os gols no 2º tempo. 

Local/Data: Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa | 26/01/2020
Público e Renda: 3.108 pagantes | 3.574 total | R$ 64.515,00

Compartilhe essa notícia com seus amigos!