Apesar da vitória sobre o Leão, Gerson admite jogo fraco tecnicamente

Início das jogadas precisa melhorar no próximo jogo, pela Copa do Brasil

Apesar da vitória sobre o Leão, Gerson admite jogo fraco tecnicamente

Técnico do Operário, Gerson viu pontos positivos e negativos contra o Cianorte - Foto: João Vitor Rezende

Depois da vitória sobre o Cianorte, o técnico do Operário Ferroviário, Gerson Gusmão, falou sobre as dificuldades técnicas do Operário no duelo. O treinador gostou da atuação dos jogadores estreantes e reconheceu a importância do resultado, mas o início das jogadas preocupou o comandante, que terá pouco tempo para ajustes antes da estreia na Copa do Brasil, na quarta-feira (5) contra o Barbalha, do Ceará.

AVALIAÇÃO GERAL

"Não fizemos um bom jogo tecnicamente. A bola começou a chegar muito dividida na frente, não chegava limpa para os atacantes e aí a nossa grande dificuldade. O início das jogadas, a construção, não estava legal. Erramos demais, perdemos bolas, proporcionamos contra-ataques. Foi um jogo que erramos muitos passes e quando você erra passe demais você começa a correr para trás, não consegue transformar o início de jogadas em jogadas de ataque e aí as coisas não saem como esperamos. Cobramos isso dos atletas porque sabemos que tem dias que não vamos estar bem tecnicamente, e aí precisa ter alguma coisa para equilibrar o jogo, seja a disposição, a entrega". 

PARTE FÍSICA

"Tivemos alguns atletas que acusaram a parte física, a sequência dos jogos já. Sabíamos que poderia ter e alguns atletas sentiram. Régis estava bem abaixo tecnicamente por estar desgastado e não conseguiu dar a dinâmica que geralmente dá na saída de bola. Os atletas que entraram também sentiram o campo pesado, o ritmo de jogo. Sabíamos que poderíamos sofrer um pouco. Não foi um grande jogo, mas conseguimos nos fechar bem"

ALTERAÇÕES

"Fábio foi bem, iniciou errando alguns passes até pela parte de ritmo e depois melhorou na partida, conseguiu ter personalidade para buscar a saída curta, principalmente da metade para o final. Cleyton já é um jogador que vinha jogando, estava com ritmo e esperávamos uma boa movimentação dele, como de fato aconteceu, mas também não estava em um dia bom tecnicamente, perdeu algumas bolas e tomou decisões erradas, mas é normal, é um atleta que dificilmente coloca a bola para trás, ele procura o gol. Cristhian também foi bem, um pouco ansioso em alguns momentos, mas normal, é um jogador rápido e forte mas não conseguimos usar isso hoje. Acredito que foram boas as entradas dos jogadores. Bonfim também fez uma partida segura, como a gente já sabe, é um jogador experiente" 

PRÓXIMO JOGO

"Assisti três, quatro jogos, do Barbalha nessa semana e hoje ou amanhã vou assistir aos dois últimos. Estamos muito atentos, temos um departamento que está trabalhando muito bem com as informações dos nossos adversários. É um campo ruim, um estádio pequeno, e um time que tem um histórico dentro de casa. Temos que errar muito pouco em uma partida dessa, margem de erro mínima. O desgaste nosso vamos contiuar analisando. Vamos analisar aqueles que tiveram um desgaste maior, principalmente Jefinho e Coutinho que jogaram dois jogos o tempo inteiro, intensos na frente, tanto é que Coutinho vem fazendo gol e Jefinho está muito próximo disso".

O Operário Ferroviário joga pela Copa do Brasil nesta quarta-feira (5), no Estádio Inaldão, em Barbalha.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!