'Feliz demais pelo entendimento e pela execução', avalia Gerson Gusmão

Técnico do Operário volta satisfeito com a estreia do Operário na CDB

'Feliz demais pelo entendimento e pela execução', avalia Gerson Gusmão

Operário Ferroviário, de Gerson Gusmão, está na 2ª fase da Copa do Brasil - Foto: João Vitor Rezende

PublicidadeNEC

O Operário Ferroviário venceu o Barbalha Futebol Clube em Barbalha, no Ceará, pela 1ª fase da Copa do Brasil, por 3 a 0. Olhando para o desempenho do time, o técnico Gerson Gusmão volta a Ponta Grossa satisfeito. Por mais que o desempenho do alvinegro tenha sido inferior antes do primeiro gol, o treinador destacou aspectos que levaram a isso como a qualidade do gramado, o tamanho do campo e o medo natural de errar antes de conquistar a vantagem, e elogiou o grupo.

ANÁLISE GERAL

"Um jogo de muito contato, de muita bola longa, muita bola parada. Precisávamos ter uma marcação forte porque era um ponto forte do nosso adversário, principalmente em um campo menor em que qualquer falta, qualquer escanteio é lance perigoso. Conseguimos neutralizar isso e ainda executar a mesma coisa como arma. Feliz demais pelo entendimento e pela execução."

"Até o segundo, terceiro gol, o jogo estava difícil, nivelado. A gente sabia que ia encontrar isso aqui. Mas estou muito feliz pelo resultado e esse grupo de atletas merecia um placar assim, expressivo. Nosso torcedor merecia".

PRIMEIRO TEMPO x SEGUNDO TEMPO

"Sabíamos que a bola parada seria fundamental tanto defensiva quanto ofensiva, felizmente conseguimos um gol de bola parada em uma situação que treinamos com o Bonfim. Saímos na frente e jogamos mais pressão ainda para o adversário, que já precisava buscar o resultado. Isso contribuiu para que no segundo tempo tivéssemos um pouco mais de espaço, mas as oportunidades também apareceram no primeiro tempo e acabamos errando o passe final. O posicionamento foi o mesmo no primeiro e no segundo tempo, o que aconteceu é que estava ruim de jogar ali mesmo, campo irregular, gramado alto, adversário já acostumado com isso e a gente sempre com receio que a bola ia escapar e poderíamos perder essa bola. Depois do gol, conseguimos ter mais tranquilidade, porque sabíamos que estávamos à frente no placar."

LADOS

"Posicionamos a equipe para fechar os lados do campo e proteger a frente da área para que a bola não entrasse no pivô, no Cléber ou na infiltração do Thiago ou do Caaporã. O adversário teve duas situações pelo lado direito de cruzamentos e jogadas perigosas, mas os atletas entenderam o que a gente propôs e executaram de uma maneira fantástica, se entregando, marcando."

BUSTAMANTE

"Um atleta que tem um potencial enorme, um jogador de muita força, decisivo. Ele acabou errando alguns passes no primeiro tempo quando já podíamos ter finalizado, e eu cobrei isso dele, ele entendeu, aceitou a cobrança e melhorou no segundo tempo. Isso me agrada muito, quando você mostra aquilo que aconteceu errado e o atleta aceita e melhora. Sabemos que temos muito a crescer quando temos esse retorno por parte dos atletas." 

VISITANTE

"Fomos bem recepcionados e não temos nada a reclamar. Futebol é isso, é uma disputa mas nunca pode passar disso. Precisa ter respeito, e nós respeitamos muito o nosso adversário, sabíamos da história do Barbalha, do período longo sem perder em casa." 

Compartilhe essa notícia com seus amigos!