Goleiro Simão conta sobre os efeitos do novo coronavírus em Portugal

Atleta emprestado pelo OFEC ao Paços de Ferreira está treinando em casa

Goleiro Simão conta sobre os efeitos do novo coronavírus em Portugal

Simão, goleiro ídolo do Operário, mudou-se para jogar em Portugal em julho de 2019 - Foto: José Tramontin

PublicidadeNEC

O goleiro Simão, emprestado pelo Operário Ferroviário ao Paços de Ferreira em julho de 2019, passa pela 'quarentena' - medida para restringir o trânsito de pessoas - na cidade de Paços, em Portugal. A pandemia de COVID-19, o novo coronavírus, tem obrigado todos a mudarem a rotina e ficarem em suas casas de maneira preventiva. O número de afetados na Europa - novo epicentro da doença - cresce e, em Portugal, a população está em alerta máximo. 

"Na quinta-feira passada já parou tudo. É uma coisa muito séria. Talvez vocês não tenham percebido aí ainda, mas aqui já vemos pouca gente nas ruas. Em Paços, fechou tudo. Na sexta-feira já não fomos mais para o clube e todos os dias eles passam um plano ou vídeo de treino. Estamos treinando em casa e não podemos sair, em quarentena mesmo, só sai um para fazer compras quando precisa em mercado e farmácia, que são as únicas coisas que estão abertas", conta Simão, em entrevista exclusiva ao Net Esporte Clube 

Todas as competições de futebol estão paradas em Portugal. O primeiro caso de morte no país foi justamente de alguém conhecido no esporte. Mário Veríssimo, aos 80 anos, veio a falecer diagnosticado com coronavírus. Ele foi massagista do Estrela da Amadora e trabalhou com Jorge Jesus, hoje técnico do Flamengo, ao longo da carreira.

"É muito rápido, se espalha muito rápido. É quarentena mesmo para tentar minimizar o risco. Mas é isso: treinando em casa, tem plano diário da comissão técnica, questionário, médico que tenta sempre estar atento. Bem complicado. Vi a decisão que foi tomada aí [em Ponta Grossa], que foi suspenso tudo, e é o certo. Saúde em primeiro lugar. Não tem que ter treino nem nada, porque para se infectar é muito fácil", completa Simão.

O goleiro mora com a esposa e filha na cidade de Paços de Ferreira e tem contrato até o fim da competição pela temporada 2019/20 com o clube português. Depois, definirá se retorna ou não ao Operário Ferroviário. 


*Com colaboração de Emmanuel Fornazari.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!