Sem jogos do Operário, trabalhador informal perde cerca de 100 vagas

Profissionais de serviços para dias de jogos ficam sem essa fonte de renda

Sem jogos do Operário, trabalhador informal perde cerca de 100 vagas

Estádio Germano Krüger está sem jogos; FPF e CBF suspenderam calendários - Foto: José Tramontin/ Arquivo

Com o calendário de jogos do Operário Ferroviário suspenso e todas as atividades do clube paralisadas por conta da propagação do novo coronavírus, alguns trabalhadores ficam sem sua fonte de renda. Jogadores, comissão técnica e funcionários registrados pelo clube em si receberam seus salários normalmente e agora estão em férias coletivas. Mas o trabalhador informal, autônomo, que atua apenas em jogos, nos serviços de alimentação e bares, por exemplo, precisa buscar outras alternativas para conseguir recursos neste período. 

A principal recomendação dos órgãos e profissionais da saúde diante da pandemia de COVID-19, o coronavírus, é que as pessoas fiquem em casa. A perda econômica, neste momento, fica em segundo plano, já que o isolamento, o distanciamento social, é a melhor forma preservar a saúde. Entretanto, é evidente que o Operário movimenta setores econômicos e que algumas pessoas acabaram perdendo temporariamente a sua única alternativa de trabalho.

O ponta-grossense Juliano Machado Borges trabalha com pastel feito e frito na hora a mais de dois anos no estádio. "Dependemos disso. Inclusive, tenho quatro pessoas que trabalham comigo que dependem também, da mesma forma. Essa situação afetou muito a renda. Eu faço outros eventos, mas foram todos cancelados. A perda não é somente minha, mas também de quem presta serviços para mim", conta Juliano. 

Como alternativa, o trabalhador autônomo procurou outros pontos fixos para entrega de pastéis. Com o comércio fechado, apenas uma entrega continua sendo feita por ele na cidade e é o que mantém a renda. O pasteleiro também atuava com vendas no terminal, mas o espaço está sem fluxo de pessoas diante da pandemia.    

Segundo o sócio da Oak Bier, empresa responsável por comandar a venda de comidas e bebidas no Estádio Germano Krüger, Marcio Nakazawa, a última lista de trabalhadores em atuação para os serviçoes de um dia de jogo teve 105 pessoas. O empresário afirma que aproximadamente 12 mil reais por partida são aplicados no mercado informal através do pagamento de produtos, de freelancers e de funcionários, e do faturamento dos trabalhadores informais com suas vendas no estádio. 

"Após as recomendações de isolamento social, todos os nossos eventos e vendas foram cancelados. Isso afeta diretamente no faturamento da empresa, que chegou a zero reais nas últimas duas semanas. É algo que impacta diretamente nos pagamentos de fornecedores e funcionários. Especificamente em eventos, onde se incluem os jogos do Operário, deixamos de gerar renda para mais de 100 pessoas que de alguma forma, dependiam desse montante para o seu orçamento familiar mensal. Estamos buscando recursos externos para tentarmos honrar os nossos compromissos de pagamentos, mas o momento é de ansiedade e preocupação", diz Marcio Nakazawa. 

O Senado aprovou, nesta segunda-feira (30), um auxílio emergencial de 600 reais a trabalhadores autônomos e que trabalham por dia ou por hora. A ideia é que o 'coronavoucher' ajude a população mais carente em meio à crise causada pela pandemia. O projeto agora espera a sanção do presidente Jair Bolsonaro.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!