Operário acredita que a proposta do Londrina será aceita pelos clubes

OFEC e clubes do interior se mostram favoráveis ao mata-mata em Curitiba

Operário acredita que a proposta do Londrina será aceita pelos clubes

Federação ainda não dá pistas sobre o retorno do Campeonato Paranaense - Foto: João Vitor Rezende

Nesta quinta-feira (16), a presidência do Londrina Esporte Clube enviou à Federação Paranaense de Futebol uma proposta para a sequência do Campeonato Paranaense: que os jogos da segunda fase sejam de portões fechados em sede única - para facilitar a logística, em Curitiba. O Operário Ferroviário deve ser favorável à proposta caso seja levada para discussão. 

Leia mais: Londrina sugere sequência do Estadual em sede única e portões fechados

O presidente do Grupo Gestor do Operário, Álvaro Góes, disse que vai consultar a opinião da comissão técnica do time, mas que provavelmente irá com a maioria - se a ideia dada pelo Londrina for consenso de todos, o Operário aceitará. De portões fechados ou não, com sede única ou não, Góes quer que a segunda fase do Paranaense aconteça - para ele, é o justo. 

Góes acredita que, se a sugestão for votada, a maioria aceitará. "Times do interior podem reclamar, como Cascavel, Cianorte, quem paga estadia. Mas acho que se a Federação aceitar [a proposta do Londrina], isso deve passar", afirma.

 A diretoria do FC Cascavel, através do presidente Valdinei Silva, considera a sugestão válida, mas mostra preocupação também com a saúde de jogadores e comissão técnica. Valdinei reitera que a recomendação é que o futebol não volte antes de junho. 

"Também não podemos expor jogadores, comissão técnica, repórteres; o que não queremos para nós não queremos para os outros. Tem que ter segurança, não precisa de público, mas segurança para se jogar. É entendível a proposta do Londrina, talvez seja isso mesmo. Mas nesse momento, agora, a Federação está até fechada, nosso clube vai seguir o mesmo exemplo. Acabou o surto e temos que manter uma 'quarentena de segurança'? Aí jogamos, fecha todo mundo em Curitiba e Ponta Grossa e resolve a situação", opina o presidente do FCC em áudio repassado por ele para a imprensa.

A assessoria do Cianorte informou que o clube considera válido qualquer movimento de diálogo, já que a Federação não sugeriu nada nem apontou algum tipo de previsão neste mês de paralisação. O clube lida com contratos se encerrando no final deste mês e não conseguirá renovar, porque legalmente a renovação precisaria ser de no mínimo três meses. O presidente, que anteriormente havia se colocado favorável ao encerramento do campeonato na primeira fase, afirmou que se proposta for colocada em votação, será favorável. 

O presidente do Conselho Deliberativo do Rio Branco, Itamar Bill, diante da inclinação dos clubes e da federação à continuidade do Estadual, entende que a sugestão do Londrina seria a melhor opção no momento e Curitiba seria a melhor sede por conta dos estádios e da logística. O dirigente do futebol, Erminho, ressalta: "Desde que exista uma ajuda aos clubes, porque como vamos dar continuidade a uma competição em que foram cortadas verbas? Temos contratos até abril e provavelmente a competição passará dessa data. Como vão ficar essas situações? O pensamento do clube é cumprir o regulamento, desde que haja uma ajuda", afirma.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!