Operário completa cinco anos do título de Campeão Paranaense no Couto

Título estadual do Fantasma foi conquistado com 5 a 0 no placar agregado

Operário completa cinco anos do título de Campeão Paranaense no Couto

Na decisão do Paranaense, no Couto Pereira, o Operário venceu o rival por 3 a 0 - Foto: Aquivo/ FPF

O dia 3 de maio é um dia memorável para a torcida do Operário Ferroviário. Neste dia, há cinco anos, o Operário vencia o Coritiba na decisão do Campeonato Paranaense 2015. No jogo de ida, em Ponta Grossa, no Estádio Germano Krüger, o Fantasma conquistou vantagem ao vencer o time da capital por 2 a 0. Mas o título não estava ganho. O Operário foi a Curitiba e, no Estádio Couto Pereira, venceu o Coxa mais uma vez - agora, por 3 a 0.

O Operário marcou o primeiro gol da final aos 13 minutos do segundo tempo, com Juba. Aos 30 minutos, Ruy fez o segundo e o alvinegro emendou o terceiro três minutos depois quando Juba balançou as redes novamente para decretar a vitória. O Operário terminou a campanha com dez vitórias em 17 jogos, quatro empates, três derrotas, 28 gols marcados e 11 gols sofridos. 

"O título de 2015 coroa um projeto que começou em setembro de 2014 e abre a época mais vitoriosa nacionalmente do Operário. Foi um divisor de águas pois consolidou a estratégia do sócio-torcedor no clube e abriu as portas para um maior profissionalismo e planejamento, que deu frutos ainda nos anos seguintes", avalia o Dr. Ângelo Defino, torcedor e pesquisador autor do livro Imortal Operário Ferroviário. 

Em 3 de maio de 2015, mesmo fora de casa, o Operário lotou a arquibancada visitante do Estádio Couto Pereira. O público pagante foi de 22.256 pessoas. Foram vendidos 3.065 ingressos para a torcida visitante. A Trem Fantasma organizou uma caravana para ir de Ponta Grossa a Curitiba e 24 ônibus foram preenchidos. 

 "Em 2015 ninguém imaginava que o Operário ia conquistar seu primeiro título. Eu não acreditava, em 2014 tivemos um dos piores anos, quase fomos rebaixados. De todos os títulos que operário conquistou nos últimos anos, o de 2015 para mim foi o melhor, o título era pra ser nosso. Aquela sintonia que nós da TTF tínhamos em 2015, hoje infelizmente está mais fria. Eu tenho um orgulho enorme em ter feito parte direto nos dois jogos da decisão", lembra Lincoln Almeida, diretor da Torcida Trem Fantasma (TTF). 

"No segundo jogo, mesmo o Operário com a vantagem de 2 a 0, batia aquele medo, e eu me orgulho muito em ter feito a caravana até a capital levando 24 ônibus de torcedores para final. Foi uma semana inteira de dedicação dia e noite pelo Operário. Era a nossa final, nosso primeiro título. Sabe quando você faz o teu melhor e no final você é retribuído? Foi isso que aconteceu nesse dia. Passamos por muitos momento difíceis e no final fomos recompensados com a Taça", destaca Lincoln. 

O presidente da Associação Avante Fantasma e torcedor apaixonado pelo Operário, Jean Martins, se emociona ao lembrar da conquista: "Foi um dia especial na vida de todo operariano, um dia diferente desde o começo, aqui em Ponta Grossa, com os ônibus, aquele clima de ir para uma final de campeonato. A saída da torcida aqui de Ponta Grossa, o caminho com a galera dando tchau, saudando a torcida que estava indo para o Couto Pereira. A chegada lá, o jogo da maneira que foi. Foi muito especial. Naquele dia deixamos de ser chacota pra muita gente e mostramos que estávamos certo, o amor pelo nosso time não era errado, não éramos chacota. Mudou totalmente o patamar do Operário naquele momento", afirma. 

No apitar do juiz o Operário venceu o Coritiba por 5 a 0 no placar agregado e faturou o primeiro título estadual depois de 103 anos. De 2015 em diante, o Fantasma foi campeão outras quatro vezes: na Taça FPF 2016, na Série D 2017, na Segunda Divisão Paranaense 2018 e na Série C 2018. 

Compartilhe essa notícia com seus amigos!