Álvaro Góes confirma testagem positiva para o novo coronavírus

Presidente do grupo gestor do Operário está afastado desde a última semana

Álvaro Góes confirma testagem positiva para o novo coronavírus

Álvaro Góes está em processo de recuperação dentro de casa - Foto: José Tramontin/Operário

O Operário Ferroviário tem o primeiro caso oficial de Covid-19. O presidente do grupo gestor, Álvaro Góes, testou positivo para a doença e está em quarentena desde a semana passada. O próprio 'homem forte' do futebol alvinegro confirmou a informação e, em conversa com o NEC, repassou detalhes das próximas ações do Fantasma no combate ao coronavírus.

Góes está afastado do clube e das atividades empresariais desde o início da semana passada, quando os sintomas começaram a aparecer e a afetar a saúde.

O presidente confirmou que poucos dias antes de apresentar os sintomas teve somente dois contatos diretos dentro do clube. Ambos com integrantes da comissão técnica/médica do Fantasma. Um deles o técnico Gerson Gusmão, que passou por um período de quarentena na última semana.

"Eu não tive envolvimento com ninguém lá dentro do Operário. Só com o Gerson [Gusmão] e com o Márcio [Cardoso - técnico em enfermagem]. Os dois ficaram afastados por uma semana e nenhum deles pegou nada. Eles ficaram isolados e não tiveram sintoma nenhum", explica Góes.

NOVAS MEDIDAS DENTRO DO CLUBE

O presidente do grupo gestor informou que jogadores, comissão técnica e demais funcionários tendem a ser testados novamente nos próximos dias. "A gente vai fazer exames, pois chegou um atleta novo e precisamos evitar a contaminação. Então devemos realizar sim", projeta.

CUSTOS PARA O CLUBE

A testagem em massa obriga o Operário a fazer o investimento de R$ 15.950,00. São 55 testes comprados pelo valor de R$ 290,00. Ou seja, uma segunda testagem significa o desembolso total de quase R$ 32 mil.

A direção do Operário tentou parceria com uma empresa do ramo de convênios médicos para amenizar os custos, mas não obteve resposta. 

CUIDADOS FORA DO OPERÁRIO

Góes afirma que todas as medidas sanitárias foram tomadas, inclusive dentro da empresa que é dono, a GMAD Madcompen. "Quando descobri que estava com coronavírus, tomei todos os cuidados, me isolei. As pessoas que trabalham com a gente passaram todas por testes e não apareceu em ninguém, somente no meu irmão, que trabalha junto comigo, mas está em casa, isolado, e já está bem, sem sintomas também. Do resto dentro da empresa, ninguém teve nada", confirma.

VOLTA AOS TRABALHOS

Com a diminuição dos sintomas, Álvaro aguarda a liberação de novos exames médicos para retomar o trabalho. A nova amostra foi coletada nesta segunda-feira (22). "Vieram aqui retirar sangue para fazer o exame e ver como está o meu quadro. Se eu estou transmitindo a doença ainda ou não. Se o exame der negativo, sem transmissão do vírus, eu volto à ativa. Se der positivo e confirmar que há transmissão, vou ficar em casa me resguardando".

Compartilhe essa notícia com seus amigos!