PublicidadeNEC

Braçadas de uma campeã viram lição para uma "carreira dupla" de sucesso

Entre piscinas e consultório, Verônica coleciona títulos pessoais e profissionais

Por: ‎Emmanuel Fornazari em 28/02/2018 19:46:05 atualizado em 18/11/2018 05:56:26

Braçadas de uma campeã viram lição para uma
Verônica coleciona 30 recordes sul-americanos e centenas de medalhas - Foto: Dyozfer Hilgenberg/Centro Europeu
Toda vez que cai na água, Verônica Balsano mergulha consigo uma história de desafios que nem sempre recebe o valor merecido. Nadadora de sucesso, ela guarda uma lista de conquistas nacionais e internacionais que não cabe em 90 minutos, mas que pouco ganha as capas das revistas.

Natural de Ponta Grossa, mais do que títulos, ela já traz no currículo 25 anos de dedicação ao esporte. De vida, tem 30, e com uma vontade insaciável de tirar a cabeça para fora d"água para ver um novo recorde batido. Ao todo, são 37 brasileiros e 30 sul-americanos máster. 

"Eu gosto de treinar forte. Meu namorado às vezes me diz que não preciso deixar tudo de lado sempre, mas eu deixo", brinca ao lembrar da dedicação que precisou para aliar esporte e a carreira fora das piscinas. "Eu estudava e nadava. Agora trabalho e nado. Sempre foi assim nessa via dupla".

Mais do que títulos, que não são poucos - só numa edição do World  Máster Games foram oito medalhas de ouro -, Verônica quer ser um exemplo de conquistas pessoais. "[texto_aspas]"  É possível continuar no esporte e seguir uma carreira, manter os estudos, ter uma formação. Eu consegui e é isso que quero passar". 

Habituada à dupla jornada, a nutricionista passou a amar a profissão por causa do esporte. Companheiros de treinamentos, os cardápios saudáveis e direcionados à evolução técnica e física a levaram a querer cuidar de outras pessoas. "Hoje eu posso ser exemplo também pelo meu conhecimento".

Espera de um década

Das 80, sim OITENTA medalhas nos Jogos Abertos, uma rendeu sensação tardia de sucesso pessoal. Além do ouro, Verônica conseguiu fazer o tempo de 2m18s77 nos 200m medley. "Eu queria muito aos 18, aos 20, mas não imaginava que conseguiria aos 30 anos nadar num tempo inferior a 2 minutos e 19 segundos. Foi emociante", destaca.

Além das conquistas em ouro, prata e bronze, há também aquelas que são banhadas com outra forma de química, que perdura pelos anos sem perder a cor. "As amizades são o que mais dura no esporte. Tenho amigos de quando comecei a nadar e que quando os reencontro parece que a gente se viu ontem", sorri.

Para 2018, a natação reserva a Verônica mais um ano em que terá muitas vezes que deixar tudo de lado pelo sonho de levar Ponta Grosa ao lugar mais alto do pódio. Com um calendário cheio, ela se prepara para a primeira competição, que será em 17 de março. Em Curitiba, no Meeting Máster, não se pode esperar nada menos que empenho de quem se dedica sempre para deixar fluir o bom da vida.

Confira o clipe-entrevista de Verônica Balsano para o Destaque NEC

https://www.netesporteclube.com.br/artigo/Ponta-Grossa/5674/Bracadas-de-campea-dao-licao-para-uma-carreira-dupla-de-sucesso" data-text="Braçadas de uma campeã viram lição para uma "carreira dupla" de sucesso">
PublicidadeNEC