Time de futsal feminino do Padre Carlos tem calendário cheio no restante do mês

Equipe pode participar de até três competições oficiais em duas semanas

Time de futsal feminino do Padre Carlos tem calendário cheio no restante do mês

Três dias da semana são dedicados aos treinos em quadra, e dois são na academia; objetivo é a Fase Regional dos JEP's - Foto: João Guilherme Castro

PublicidadeNEC

O Colégio Estadual Padre Carlos Zelesny, do bairro Sabará, é a única instituição de ensino público de Ponta Grossa que participará dos Jogos Escolares do Paraná (JEP's) na Fase Regional. O compromisso é a partir desta sexta-feira (14). A equipe feminina de futsal foi campeã do Grupo 5 nos Jogos Estudantis Municipais (JEM) e, com isso, garantiu a classificação.

Para um bom desempenho nos JEPs o time comandado pelo treinador Márcio Leandro preparou uma semana intensa de treinamentos técnicos, físicos e amistosos. A equipe pode ter pela frente três competições oficiais em sequência e por isso precisa de foco nas atividades.

Entre os dias 14 e 20 deste mês, a agenda é na cidade de Piraí do Sul para a disputa da Fase Regional dos JEP's. Já nos dias 21 e 22 o time estará em Foz do Iguaçu para competir na 2ª fase da Taça Paraná Sub-17. E, caso vençam a fase regional dos JEP's, a delegação viaja a São Mateus do Sul para jogar a Macrorregional do torneio entre os dias 25 e 30 de junho.

Segundo o treinador, a preparação segue intensa para a série de competições, mas o foco do momento são os JEP's. “Estamos nos preparando para um mês recheado de competições. Nosso foco maior é a Regional. Esperamos fazer um bom papel e tentar o título para disputarmos a Macrorregional”, destaca.

Para a ala Monique Evelyn, o objetivo é um bom resultado nessa primeira missão. “A gente está treinando bastante e queremos sair com o título. O nosso time tem potencial para disputar uma final e sair campeão”, crava a jogadora.

Como único colégio público de Ponta Grossa a participar dos Escolares, o Padre Carlos sente as diferenças em comparação com os colégios da rede privada. Porém, o projeto a longo prazo tem mostrado bons resultados.

“Nos últimos dez anos nós fomos em oito Escolares. É o único colégio público que sobressaiu nos JEM, mas em razão do trabalho a longo prazo. Temos dificuldades sim, mas sabemos da nossa força. Enfrentar os colégios particulares é muito importante também para a preparação e já estamos habituados a esse tipo de situação”, ressalta Márcio.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
PublicidadeNEC