Lutadores de PG buscam recurso para participar de Circuito de Beachboxing

Cinco integrantes da família Zenidim foram classificados para evento em Niterói

Lutadores de PG buscam recurso para participar de Circuito de Beachboxing

Família Zenidim no desfile do aniversário de Ponta Grossa. Os lutadores carregam os cinturões conquistados pela família – Foto: Divulgação/Arquivo

PublicidadeNEC

Cinco lutadores da família Zenidim, Paulão Zenidim e seus filhos Rani Rex, Rickson, Riran Taz, Raykon, todos  de Ponta Grossa, foram convidados para participar do Circuito de Beachboxing, no Rio de Janeiro, porém, neste momento, não possuem recurso para bancar a viagem.

O município de Niterói será palco do evento, competição realizada pela Federação Estadual de Boxe de Praia do Rio de Janeiro (FEBOP-RJ), com o apoio da Prefeitura de Niterói, que reúne atletas do boxe na praia (Beachboxing) e MMA. A competição acontece no dia 29 de setembro, em arena montada na Praia de Icaraí. O objetivo deste circuito é ampliar o cenário do boxe de praia no Brasil. 

Um dos integrantes da família, Paulo Zenidim, ressalta que precisa lidar com a dificuldade de participar destas competições e de se manter como atleta. Ele também aponta que o investimento neste tipo de competição, pode trazer benefícios pessoais e pro município.

“Estamos fazendo uma rifa e solicitando apoios para amigos, empresários e políticos. É um trabalho de base se preparar para este tipo de evento. Todo o nosso trabalho é para desenvolver no Jiu Jitsu, Boxe, Muay Thai, Judo e outras modalidades. Tudo envolve investimento. A verdade é que não é só treinar, tem que competir nessas modalidades sem retorno financeiro, isso nos deixa bem preparados e traz grandes resultados para nossas carreiras e para o esporte da cidade”.

Segundo Paulo Zenidim, o custo de passagem rodoviária para a família ir a Niterói é de 4.800 reais, fora a estadia e alimentação. Paulo afirma que não conseguiu nem um terço do valor com as rifas que a família fez nas últimas semanas e que por isso, pensa em reduzir a equipe de atletas para três lutadores. Assim, baratearia os custos e aumentaria as chances de parte da família competir.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!
PublicidadeNEC