Apesar de Prefeitura atingir orçamento bilionário, Esporte tem corte de 30%

Investimento previsto para a área no próximo ano cairá de R$ 9,7 mi para R$ 6,7 mi

Apesar de Prefeitura atingir orçamento bilionário, Esporte tem corte de 30%

Orçamento para obras, como as dos campos de futebol society, passarão para outras secretarias – Foto: Divulgação

O projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) de Ponta Grossa para 2020 terá pela primeira vez na história do município um orçamento que passa a marca bilionária. O secretário da Fazenda, Claudio Grokoviski, apresentou o projeto de R$ 1,043 bilhão para a cidade na última quinta-feira (26), no plenário da Câmara de Vereadores. Porém, mesmo com a receita total da Prefeitura tendo um crescimento de 10,8% em relação ao valor total de 2019, a Secretaria de Esportes sofrerá uma redução de 30,9% do valor a ser destinado para a área – mas a queda pode ser considerada ainda maior.

Neste ano, a pasta teve orçamento de R$ 9,7 milhões. Para o próximo ano, o valor esperado é de R$ 6,7 milhões. Se os repasses estipulados para o setor acompanhassem a evolução geral do orçamento para 2020, a pasta poderia ter até R$ 10,67 milhões. Com isso, a redução dos recursos para o próximo ano seria ainda maior, chegando a 37,2%.

O secretário de Esportes, Marco Macedo, conta que foi surpreendido ao saber do corte de recursos: “Eu estava em Londrina nos Jogos da Juventude e ainda não pude conversar com o Claudio sobre o tema. Tivemos um corte, mas nós já tivemos menos do que isso e conseguimos fazer muitas coisas. Tínhamos uma expectativa de, pelo menos, manter o orçamento que tivemos em 2019 e por isso ainda quero entender os motivos dessa redução”, relata. O secretário afirma que já recebeu emenda para incrementar o orçamento da área e passar da casa de R$ 7 milhões.

Do valor total destinado ao esporte ponta-grossense em 2019, 32,9% (R$ 3,2 milhões) é utilizado para pagar a folha anual dos mais de 40 funcionários que trabalham para a secretaria – cinco deles, incluindo Marco Macedo, são comissionados.

Macedo não credita o fato de 2020 ser um ‘ano eleitoral’ como justificativa para a queda da verba prevista para a área. Além disso, o secretário explica que recursos de outros setores podem ser utilizados em situações específicas.

“Temos algumas coisas que fizemos neste ano sem atingir o nosso orçamento direto. A reforma do Ginásio Borell e algumas melhorias no Oscar Pereira, por exemplo, foram feitas com recursos da secretaria de Planejamento. Os nossos recursos são diretamente para manter nossas atividades, como os nossos circuitos, os jogos municipais e também para as equipes participantes dos Jogos da Juventude, que conseguimos bons resultados neste ano”, afirma Marco Macedo.

POR QUE A REDUÇÃO?

Via assessoria de imprensa, a Secretaria da Fazenda deu detalhes sobre o tema. Segundo o órgão, a Lei Orçamentária Anual prioriza indicações feitas em consulta popular. Foram mais de 30 mil sugestões, elencando as áreas ‘saúde’, ‘segurança’ e ‘pavimentação’ como as prioridades para investimento.

A pasta que mais receberá recursos será a Educação, com previsão de R$ 262 milhões; seguida pela Saúde, com R$ 209 milhões; e a área de infraestrutura, com R$ 169 milhões. As áreas de Saúde e Educação têm definidos percentuais mínimos constitucionais, de 15% para Saúde e 25% para Educação. A partir daí, a LOA é elaborada com base nesses parâmetros, mantendo como referência os investimentos para manutenção dos projetos e ações aplicados no ano anterior.

O secretário da Fazenda explica que parte da queda na receita de Esportes prevista se dá pela mudança na alocação dos recursos para outras secretarias: “Quando existia a Fundação, todo o orçamento para os campos de futebol society que foram construídos estavam incluídos no órgão. Por voltar a ser secretaria, esse orçamento fica ou na área de Serviços Públicos ou na de Infraestrutura e Planejamento. Tínhamos mais de R$ 4 milhões orçados nessas obras que agora não estarão no Esporte. Quando a ‘personalidade jurídica’ é alterada de Fundação para Secretaria, ela não executa obra”, conta.

Claudio Grokoviski ainda revela que novos campos nos mesmos moldes devem ser construídos no próximo ano, contando com recursos de outras pastas.

Compartilhe essa notícia com seus amigos!